domingo, 28 de fevereiro de 2010

Tô tentando

Tô tentando postar, mas a inspiração me foge. O que eu poderia dizer pra vocês?

-estou lendo A insustentável leveza do ser, LINDO, muito bem escrito, moço inteligente esse Milan Kundera;
-pintei a unha com o esmalte Sereia da Impala, a cor é linda um azul levemente esverdeado, só que não é coisa de Deus precisar de 4 mãos pra ficar bom;
-por cima passei o Matt Plus, então está fosco, opaco, muito interessante...;
-gravei uma matéria essa semana sobre cabelo Black, quando for pro ar eu aviso;
-o atelier está bombando http://www.cuorebiju.blogspot.com/;
-acabei de ler o Diabo Veste Prada, o final do livro me deu um AHA moment (como diria a Oprah) e surgiu uma idéia, quem diria;
-aff, acabei de ver que não consigo escrever IDEIA sem acento, vide frase acima;
-e agora preciso ir, o dever me chama.

Gosto tanto de ficar aqui com vocês, beijos

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Em cima do muro

Esses dias ouvi uma frase interessante no BBB (shame on me!), que nem sempre é possível ficar em cima do muro, que temos que nos manisfestar e deixar clara as nossas intenções.
E poxa vida, quer saber? É verdade. Ok, ok, querer fazer a política da boa vizinhança, ser agradável, não se intrometer, mas não dá pra ser passivo e aceitar tudo.
Conheço uma pessoa muito querida, mas ela sempre aceita tudo, mesmo que vá de algum modo prejudicá-la. Isso é saudável?
Saber dizer não é tão importante quanto dizer sim...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Novidades

Olá meninas e meninos!
Minha incapacidade de ficar quietinha me faz criar, quer ver o resultado?
http://www.cuorebiju.blogspot.com/
Em breve na ativa, mas já dá pra dar uma olhadinha, me digam o que acham!
Beijos e uma ótima semana

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Por dentro do outro

Você se conhece bem?
Bem mesmo?
Sabe como reagiria em qualquer situação?
Se muitas vezes não temos certeza nem do que vai por dentro da gente mesmo o que dizer do que vai dentro do outro.
Quem é o outro, o que ele pensa, o que ele sente, o que ele fala condiz com o que está na cabeça ou no coração?
O outro sempre me surpreende. Nem sempre é uma surpresa boa. Às vezes ele pensa o oposto de você e isso pode ser bom, ou pensa exatamente igual e nem sempre isso é tão legal assim.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Síndrome da fila (repostagem)

Carnaval, né?
Vou usar o truque da respostagem!
Eeeee!
Um texto bem do comecinho do blog quando ninguém vinha aqui, rs

Sempre achei que fila fosse coisa de paulista. Mas depois de muito viajar e conhecer outros estados e cidades, posso afirmar que fila é coisa de seres humanos em geral.

Eu particularmente não sou fã de fila não. Repudio todas as filas, e as que eu puder escapar e sair correndo eu fujo mesmo.
Banco por exemplo. Existe aquela lei que você pode ficar no máximo 15 minutos (faz me rir) esperando na fila para ser atendido. 15 minutos para o meu ser é muito tempo. Um grande desperdício. Dá pra tomar banho, ler um gibi, lixar as unhas, fazer um xixi, começar meu tricozinho. Para isso existe INTERNET, onde pago minhas contas sem ao menos tirar o pijama. Maravilhas do mundo moderno.
Mas ao contrário de mim existem muitas pessoas que são chegadas numa fila, elas realmente são afeiçoadas ao conceito de ficar "um atrás do outro feito gafanhoto". Essas pessoas tem a síndrome da fila, doença moderna ainda sem tratamento e que se manifesta de várias modos de acordo com o ser humano que está infectado.

Compulsivo: não importa do que é a fila, ele sempre chega junto, puxa papo, faz amizade, gosta de ser o primeiro, chegando ao cúmulo de começar a fila do cinema 2 horas antes do filme ter início.

Torcicolo: aquele que sempre levanta antes do ônibus ou avião abrir a porta quando chega ao seu destino, e como os apressados (leia abaixo) já levantaram antes dele, é obrigado a permanecer no seu lugar, de pé, com o pescoço torto devido a cabine ser mais baixa acima dos assentos.

Apressados: quando o funcionário do aeroporto avisa no microfone que dentro de 10 minutos começará o embarque, esse apressadinho já está na fila aguardando faz meia hora.

Paranóico: praticamente o maníaco da fila, mesmo tendo lugar (assento) marcado ele faz questão de ser o primeiro, empurra crianças e pisa no pé dos velhinhos, mantenha distância desse tipo.

Turista tipo paulista (válido para todos os estados brasileiros, o nome é apenas uma homenagem à minha terra): durante uma excursão de turismo, onde se acredita que as pessoas devessem estar mais relaxadas, esse louco por fila não mede conseqüências para ser o primeiro a entrar e sair de qualquer meio de transporte utilizado nos passeios. Se num passeio de barco o acaso reunir vários desses turistas paulistas, que com certeza vão se acumular na minúscula saída, e o barco virar, não se preocupe, o primeiro que cair na água prontamente vai gritar: Haha, caí primeiro!!!!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Esclarecendo

Não sei se vocês sabem, mas nem todas as histórias que conto aqui se passaram comigo, como a de baixo por exemplo. Lendo os comentários vi que muitas acharam que não era inveja e tals e me vi na obrigação de esclarecer que não contei a história toda para ficar mais "leve", mas a amiga X é recorrente, tudo o que a amiga Y tem ela quer igual e faz beicinho. Desde um colar, um brinco, um óculos, um vaso, edredom, e eu e a amiga Y esperamos que se mantenha nesse nível e que ela não queira o namorado dela também, rs...

Disfarça que é inveja

Era uma vez a menina X, ela tinha uma linda bolsa. A menina Y era amiguinha dela e sempre comentava que achava a bolsa da menina X linda. Um dias as amiguinhas estavam passeando e viram a mesma bolsa só que em outra cor, a menina Y ficou radiante já que sempre gostou da bolsa e agora podia ter uma em cor diferente, e assim não ficaria igual à menina X. Comprou a bolsa com aprovação da menina X.
Corta- entra GC: Dias depois...
A história poderia terminar aí com um Felizes para Sempre, mas a menina Y foi pegar algo no armário da menina X e para seu espanto viu que a "amiga" tinha comprado uma bolsa da MESMA cor que a dela, sendo que já tinha a bolsa original, com uma cor diferente.
Agora a menina Y se pergunta: porquê?

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Diário e dicas de viagem Mendoza 1

04/01
Fomos para o aeroporto de Santiago e descobrimos que era auto check in, naqueles terminais de computador, uma moça estava na minha frente fazia muito tempo e não conseguia, aí fui ver o porquê, todas as informações na tela eram em espanhol e a moça era Canadense, fiz o check in dela e também de uma outra pessoa da Áustria. Hello Lan Chile, vamos dar uma opção de inglês também?
O FreeShop é incrível, com muitas opções porém um pouco mais caro do que no Brasil, agora se você procura Bvlgari se joga, pois não tem no Brasil nem na Argentina.

Chegamos em Mendoza o dia estava lindo e quase 40 graus! O motorista que pegou a gente foi contando um pouco da cidade, das árvores que são todas plantadas não tem nenhuma nativa pois era tudo deserto, dos canais que passam por toda a cidade e são abastecidos pelas águas dos Andes, e o tio botou pânico na gente, que lá era perigoso, nada de sair com máquina fotográfica, que muitos turistas eram assaltados.
No hotel (Urbana Class, bem localizado, 4 quadras do microcentro) o discurso de segurança foi o mesmo, achei exagero mas no jornal no outro dia tava lá uma história de dois alemãs que tinham sido assaltados no parque San Martin. Bom, é o seguinte, nós que somos de grandes centros sabemos das regras básicas de segurança, mas lá tem muito turista alemão, inglês, norueguês, gente que não está acostumado com terceiro mundo e andam com dinheiro à vista de todos, máquinas fotográficas e essas coisas que nós, infelizmente, somos safo. Então fique atento, você é turista, e não ande no horário da siesta em lugares vazios.


Dica: tudo fecha das 12:30 às 17h, 18h, então se programe para isso. É muito quente, muito mesmo, a cidade é super seca, se mantenha hidratado e aproveite para tomar um helado (sorvete) de dulce de leche... No almoço sempre pergunte o tamanho da carne, pois tem porções de meio quilo, o que dá lindamente para 2 pessoas. Se gosta bem passado peça cozido, ao ponto peça ao punto, indo pra mal passado diga 3/4, e boi berrando diga jugoso.

Andando ali no micro centro encontramos uma sorveteria deliciosa e muito barata, duas bolas 3 pesos (R$1,50), chama-se Blanco y Nero, e fica na Peatonal (calçadão) Sarmiento, 50. Pedi um de doce de leite maravilhoso, de comer chorando ajoelhado no cantinho, e meu marido foi no de morango que estava incrível, nunca comi um sorvete de morango como aquele. Dê uma olhada também nas lojas de bolsas, tem cada uma linda e muito barata, muito mesmo, não espere pra comprar em Buenos Aires se alguma coisa te agradou.


Dica: por falar em compras como faz para tirar dinheiro Bial? Pergunte onde tem um hotel com cassino, é ali no centrinho, é super seguro para tirar e você ainda pode perder uns pesos ali nas máquinas. Confesso que fomos lá uma noite e foi bem divertido, estipulamos um valor e só brincamos com aquilo. Vá na máquina do mágico de Oz, é muito diferente. Não esqueça que estamos na Argentina e o povo adora um troco (vuelto), não me apareça com nota grande que as pessoas ficam pálidas e ninguém troca, faça isso em restaurantes ou no hotel.

Em todos os blogs que li o restaurante Azafrán foi indicado, fomos jantar lá (faça reserva!! peça para o atendente do hotel te ajudar) e acho que foi o melhor jantar da viagem, pedi um atum só seladinho com um arroz de sushi, estava muito bom, e o tornedo de sbrubles do maridón (não lembro o que era, rs) tinha um molho surpreendente. Tem adega no restaurante, você pode escolher o vinho e se quiser tomar na hora paga rolha de 5 pesos, ou se não aguenta uma garrafa peça uma taça, fui de taça e não me arrependi.


Nesse dia tivemos que dormir cedo, pois no outro dia as 7 da matina tinha passeio para Alta Montanha.
Continua...
Blog Widget by LinkWithin