quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Diário e dicas de viagem Mendoza 1

04/01
Fomos para o aeroporto de Santiago e descobrimos que era auto check in, naqueles terminais de computador, uma moça estava na minha frente fazia muito tempo e não conseguia, aí fui ver o porquê, todas as informações na tela eram em espanhol e a moça era Canadense, fiz o check in dela e também de uma outra pessoa da Áustria. Hello Lan Chile, vamos dar uma opção de inglês também?
O FreeShop é incrível, com muitas opções porém um pouco mais caro do que no Brasil, agora se você procura Bvlgari se joga, pois não tem no Brasil nem na Argentina.

Chegamos em Mendoza o dia estava lindo e quase 40 graus! O motorista que pegou a gente foi contando um pouco da cidade, das árvores que são todas plantadas não tem nenhuma nativa pois era tudo deserto, dos canais que passam por toda a cidade e são abastecidos pelas águas dos Andes, e o tio botou pânico na gente, que lá era perigoso, nada de sair com máquina fotográfica, que muitos turistas eram assaltados.
No hotel (Urbana Class, bem localizado, 4 quadras do microcentro) o discurso de segurança foi o mesmo, achei exagero mas no jornal no outro dia tava lá uma história de dois alemãs que tinham sido assaltados no parque San Martin. Bom, é o seguinte, nós que somos de grandes centros sabemos das regras básicas de segurança, mas lá tem muito turista alemão, inglês, norueguês, gente que não está acostumado com terceiro mundo e andam com dinheiro à vista de todos, máquinas fotográficas e essas coisas que nós, infelizmente, somos safo. Então fique atento, você é turista, e não ande no horário da siesta em lugares vazios.


Dica: tudo fecha das 12:30 às 17h, 18h, então se programe para isso. É muito quente, muito mesmo, a cidade é super seca, se mantenha hidratado e aproveite para tomar um helado (sorvete) de dulce de leche... No almoço sempre pergunte o tamanho da carne, pois tem porções de meio quilo, o que dá lindamente para 2 pessoas. Se gosta bem passado peça cozido, ao ponto peça ao punto, indo pra mal passado diga 3/4, e boi berrando diga jugoso.

Andando ali no micro centro encontramos uma sorveteria deliciosa e muito barata, duas bolas 3 pesos (R$1,50), chama-se Blanco y Nero, e fica na Peatonal (calçadão) Sarmiento, 50. Pedi um de doce de leite maravilhoso, de comer chorando ajoelhado no cantinho, e meu marido foi no de morango que estava incrível, nunca comi um sorvete de morango como aquele. Dê uma olhada também nas lojas de bolsas, tem cada uma linda e muito barata, muito mesmo, não espere pra comprar em Buenos Aires se alguma coisa te agradou.


Dica: por falar em compras como faz para tirar dinheiro Bial? Pergunte onde tem um hotel com cassino, é ali no centrinho, é super seguro para tirar e você ainda pode perder uns pesos ali nas máquinas. Confesso que fomos lá uma noite e foi bem divertido, estipulamos um valor e só brincamos com aquilo. Vá na máquina do mágico de Oz, é muito diferente. Não esqueça que estamos na Argentina e o povo adora um troco (vuelto), não me apareça com nota grande que as pessoas ficam pálidas e ninguém troca, faça isso em restaurantes ou no hotel.

Em todos os blogs que li o restaurante Azafrán foi indicado, fomos jantar lá (faça reserva!! peça para o atendente do hotel te ajudar) e acho que foi o melhor jantar da viagem, pedi um atum só seladinho com um arroz de sushi, estava muito bom, e o tornedo de sbrubles do maridón (não lembro o que era, rs) tinha um molho surpreendente. Tem adega no restaurante, você pode escolher o vinho e se quiser tomar na hora paga rolha de 5 pesos, ou se não aguenta uma garrafa peça uma taça, fui de taça e não me arrependi.


Nesse dia tivemos que dormir cedo, pois no outro dia as 7 da matina tinha passeio para Alta Montanha.
Continua...
Blog Widget by LinkWithin