quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

E não é que acabou?

2009, tchau!
Se foi bom pra vc que em 2010 venha em dobro.
Se não foi tão bom que 2010 te recompense.
Amanhã a essa hora estou entrando no avião e só volto nos dia 10, então o bloguinho entra de férias!
Estou muito ansiosa com a viagem, até sonhei hoje, rs.
Prometo tirar muitas fotos e contar tudo pra vcs na volta.
Para os leitores antigos, para os novos, para os que comentam, para os fiéis, para os que só dão uma olhadinha, pra vc que acabou de chegar, para aqueles que nunca comentam, para os anônimos, para os amigos que fiz e até conheci pessoalmente, meu muito obrigada pela companhia, que 2010 seja mais suave, leve, mas recheado de emoções e boas surpresas!
Até 2010!!!!

PS: ei, são só 10 dias, já já eu volto!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

I wish

É Natal.
Onde você estava um ano atrás?
Onde imagina estar daqui a um ano?
O que deseja pra esse novo ano que começa daqui a pouquinho?
Eu desejo pra vocês EQUILÍBRIO!
Pois quem está em equilíbrio, está feliz, com saúde, com um emprego que gosta, com pessoas amadas, em paz consigo mesma, harmonia na parte financeira e na parte espiritual.
Um ano equilibrado pra todos vocês do fundo do meu coração e da minha alma!
Obrigada pela companhia de sempre!
Beijos

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Micro mala ou fazendo a pheena

Vocês sabem que gente fina viaja com uma mala bem pequena, de preferência só uma malinha de mão, porque não tem nada mais sem classe que ficar horas na esteira esperando pelas suas 7 malas GG. Na verdade eu posso ser uma pessoa fina, minhas malas costumam ser bem pequenas, mas como meu marido quer fazer uma única mala para nós dois vamos acabar levando ao invés de duas P, uma G.
Queria uma ajuda das meninas que já fizeram viagens como a minha  (10 dias, sendo 3 noites em cada lugar- Santiago, Mendoza, Buenos), se tem algo muito essencial para levar, lembrando que é verão, vou jantar em uns 2 restaurantes bacanas, caminhar muito, um dia de praia... Segue a minha pré-lista, me digam se acham que é pouco, se é muito, etc.

Necessaire: shampoo, condicionador, leave-in, pente, grampos, uma presilha bonita, sabonete líquido, hidratante corpo e rosto, filtro solar, remédios para enjôo, dor de cabeça, febre, pomada para dor, algo pro fígado.
Make: corretivo, rímel, lápis preto, paleta batom, blush, um pincel travel size de blush, nada de sombra, se necessário uso o lápis, e lenços pra tirar a make.
Acessórios: uma echarpe creme quentinha, nada de brinco, anel, pulseira, colar...

Roupas
3 shorts (preto risca de giz / branco / bege)
2 calças jeans (uma escura e uma clara, ambas skinny)
1 calça branca pantalona (fresquinha para ir a praia, ou bacana para sair à noite)
5 (ou 6 ou 7???) Blusas (ainda a decidir, vou optar só por básicas que combinem com tudo)
2 malhas de frio
1 cardigã preto
1 casaco bem quente (tem passeio lá no Aconcágua)
1 casaco couro marrom (não sei se levo...)
1 biquíni
3 vestidos que não amassam
1 sapato preto noite
1 all star
1 sapatilha (noite e dia)

O que acharam? Lembrando que não ligo de repetir roupa e quero carregar menos coisas possíveis...

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Descabelada (update foto)

Aposto que as donas de cabelos cacheados, ondulados, enrolados, crespos, pixa, black, poddle, já ouviram na infância: não corta esse cabelo menina, tem que deixar crescer, não mexe nele, cuidado que vai estragar esse cabelo... Comigo também foi assim, e era horrível, porque minha vontade era de mudar, eu via as minhas amiguinhas de cabelo loiro com mechas azuis de papel crepom e eu queria fazer igual, eu queria cortar o cabelo como a branca de neve (verdade seja dita que um dia minha mãe cortou eu eu AMEI, achei o máximo aquele cabelo quase channel black power).
Gente, a Madonna era minha "ídala mor", cada semana a mulher aparecia com o cabelo de um jeito diferente, uma hora era preto na outra loiro, e longo, e curto, e chanel, e joãozinho. O cabelo sempre estava lindo, brilhante, não estragava como as tias falavam pra gente que ia ficar o nosso se a gente mexesse, mas ninguém me deixava cortar, eu ficava tão triste.
Mas aí eu cresci e me divirto com meu cachos, adoroooooo, acho que nunca na vida eu tingi o cabelo duas vezes seguidas com o mesmo tom. Luzes, loiro, chocolate, castanho, bem comprido, channel, médio, repicado, fio reto, tudo o que eu podia fazer eu já fiz, e num mesmo ano eu vario pelo menos umas 4, 5 vezes.
Tudo isso pra dizer que acabei de chegar do salão onde me despedi de um longo palmo de cabelo para a descrença (e alegria) da cabelereira. Sei que muitas meninas se encolheram na cadeira agora, afinal brasileira tem pânico de cortar o cabelo, mas tem uma coisa ótima a respeito dos fios: eles crescem!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Indo

Quando eu era pequena o melhor da volta às aulas era aquela passadinha na papelaria, tantas coisinhas pequenas e coloridas enchiam os meus olhos, e até hoje eu sou assim, mas evito comprar borrachinhas de bichinhos e canetas com cheirinho de fruta e glitter, porque tenho uma reputação a zelar, né?
Aí que eu cismei que precisava de uma caderno sem pauta, tipos Moleskine (dá um google, o bicho custa 70 reais), e dá-lhe rodar papelaria pra achar exatamente o que eu queria, quando eu achei os anjos cantaram, o céu se abriu  fiquei moooito feliz pois era exatamente o que eu precisava para fazer meu diário de viagem.
Já viajei bastante pelo Brasil mas nunca fui nem no Paraguai, mas se Deus quiser, se a Infraero não estiver na TPM e se não houver caos aéreo embarco dia 1 de janeiro as 8 de la matina rumo à Santiago, Mendoza e Buenos Aires, 10 lindos dias passeando, indo nas adegas, achando super normal beber antes do meio dia, comendo, me divertindo.
Já comecei a anotar no caderninho todas as dicas que coletei e alguns passeios que quero fazer, tudo isso pra poder sair linda e tranquilamente do roteiro programado, porque a graça é essa, é você fazer sua viagem, encontrar um restaurante por acaso, descobrir uma loja que ninguém indicou e voltar toda se querendo e dando dicas para os próximos viajantes, rs.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Bife do vô (tempero para bife)

Quando eu era criança meu vô cozinhava demais pra gente e o churrasco dele era o melhor do mundo, ele cortava cubos de alcatra e temperava um dia antes, nunca mais vi ninguém fazer carne desse jeito. Bom, mas eu moro em um apartamento e não tenho churrasqueira, então adaptei o tempero do vô para dar uma incrementada naquele bife do dia a dia.
Costumo usar contra-filé pq acho mais saboroso, mas pode fazer esse tempero até para aquele lagarto de panela, sem problemas, faço sem medidas, mas não se preocupe, não tem como dar errado. Pique um dentinho de alho fresco (ou 2, 3, 4, dependendo da quantidade de pessoas), um pedaço de pimentão em quadradinhos (uso o vermelho que é mais suave que o verde), pimenta do reino, sal (normalmente não tempero com sal antes nenhuma carne, mas nessa receita faço igual ao vô), se tiver um vinho tinto aberto coloque umas colheres de sopa ou então substitua por vinagre, acredite, funciona, sempre faço com o vinagre tinto, e só! Às vezes meu vô colocava salsinha também, fica bommmmm.
Coloque esse molho por cima dos bifes e se possível deixe de um dia para o outro na geladeira, amasse os bichinhos, faça um carinho para o tempero entrar. Difícilmente lembro de fazer um dia antes, então deixo algumas horas e tudo certo.
Esquente bem uma frigideira, bem mesmo, de sair fumaça, porque salgamos a carne antes e se a panela estiver morna vai aguar tudo e a gente não quer isso. Quando estiver bem quente coloque os seus bifes com uma certa distância entre eles, mantenha o fogo alto e não MEXA. Quando começar a subir uma aguinha na parte de cima do bife, deixe mais uns segundos e vire. Espere grelhar a parte de baixo e pronto, o bife fica enjoado se você ficar revirando na panela, rs. Se quiser coloque umas cebolas, uma pitada de sal, um pouco de vinagre, e uma pitada de açúcar para caramelizar e jogue por cima!
Faça e depois me conte!
Beijos

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Exagerado, jogado aos teus pés...

Meu marido vive falando que sou exagerada. Que tô sempre com isso ou com aquilo. Dor de cabeça, picada de mosquito, retenção de líquido, garganta inflamada. Segundo ele eu sou muito frescurita. Que quando estou na TPM eu tenho cólica, dor de cabeça e dor nas costas ao mesmo tempo (Dear Good, faça com que todo homem vire mulher um dia na vida, e que nesse dia ele vivencie a plenitude feminina: TPM).
Isso tudo vindo de um homem que deu mal jeito no pulso ao abrir um vidro de geléia e declarou desesperado que aquilo não era normal e ele só podia estar com osteoporose...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

I will

Se uma pessoa que você não tem intimidade chegar pra vc e fizer umas previsões (uma boa né, pq não vou crer em nada como: acontecerá um desastre e seu prédio vai pegar fogo), e elas realmente começarem a acontecer, você vai acreditar no resto da previsão ou vai achar que é coincidência?
Sinceramente? Tô bem acreditando...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Seguidor 300

E o seguidor de número 300 é um meninoooooooo.
Viu, meninos também brincam de blog!
Parabéns Fernando Luiz!
Sei que você preferia ganhar na mega sena, mas já é um começo, rs
Obrigada seguidores fofinhos da titia, sintam-se  todos abraçados!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Quase dezembro

Quando eu era pequena meu desespero no ano novo é que no dia seguinte já era outro ano e o tempo não parava. Não para mesmo. Pra nada. Nem pra dor, nem pro sofrimento, apesar de a gente achar que ele se prolongue nesses momentos. Nem na alegria, no êxtase, na felicidade, mas nesses momentos achamos que o tempo voa.
Dezembro já tá vindo aí, batendo na portinha. Foi um bom ano pra você? Está sendo um bom momento pra você? O que você fez, no que você melhorou, no que você não conseguiu evoluir, que laços se romperam e quais você tentou consertar, o que você disse que nunca faria e fez, o que você prometeu sempre manter e jogou fora?
Você ainda faz promessa de ano novo?

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Você, so você...

Quantos papéis a gente interpreta nessa vida? Mal a gente nasce e já somos filha de alguém, neta, paciente. Somos alunas, tias, irmãs, mães, esposas, caçula, mais velha, chefe, empregada. E nessa roda viva, nesse constante respirar acelerado esquecemos do papel principal. Quem é você? O que você é? Esqueça seus relacionamentos, seus problemas, suas ligações. Pensar em você mesma não é egoísmo. Agora nesse momento você não é filha, nem mãe, nem amiga. Fechamos a cortina e estamos no camarim. O que você quer, do que gosta, o que sente, do que precisa? Se nesse instante você não tivesse nenhuma obrigação a não ser fazer você mesma feliz o que te levaria a esse estado?
Agora posso te contar um segredo? Você nasceu para isso, para ser feliz. Sei que a vida te leva pra cá, te puxa pra ali, os relacionamentos comandam o mundo, mas você só vai conseguir ser uma pessoa melhor para os outros se for boa com você mesma.
Quer viajar, ler um livro, não fazer nada, fazer uma massagem, um tratamento estético, tomar um banho de banheira, pintar as unhas, olhar vitrine, apenas respirar fundo e não pensar em nada? Tá esperando o que? Só você pode se fazer feliz, a felicidade nunca pode depender de qualquer fator externo, nem de marido, nem de dinheiro, nem de filhos. Por isso você vê tanta gente se arrastando pela vida com aqueles olhos tristes, marido, filhos, uma casa bonita, um bom emprego, e um imenso peso. O que está faltando pra essa pessoa? Ela mesma.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Abrindo a carteira

Eu já tive problemas com dinheiro, não de ficar devendo, gastar mais do que deve ou coisa do tipo, eu era muito, mas muito digamos "econômica". Não gastava nada comigo, nunca comprava uma roupa nova ou me fazia um mimo, mas aprendi a lidar com isso e mudar essa característica minha.
O dinheiro não é bom ou ruim, ele é neutro, o que nós fazemos com ele é que pode não estar certo, e a vida cobra. Eu conheço uma pessoa muito reclamona, sempre fala que não tem dinheiro mesmo quando tem, que se faz de coitada, que não pode sair pra almoçar fora pq não vai ter dinheiro pra pagar o condomínio, e aí um belo dia você liga pra casa dela e recebe a notícia de que foi viajar, ou seja, puro charme, ou melhor chatice. Mas a vida cobra e de tanto falar que não tinha dinheiro aconteceu exatamente isso que ela tanto reclamava.
Tem uma outra que é mega econômica, de rodar kms atrás de um detergente que está 5 centavos mais barato, e é incrível, a vida dessa pessoa não vai pra frente, mesmo quando aparece um $$ inesperado não sabe usar e ele evapora.
Dinheiro é energia e não pode ficar parado, não quer dizer que você não deva ser econômico, fazer investimentos ou uma aposentadoria privada, mas tem gente que só acumula e a energia não circula. Eu estava bem assim uma época, completamente acumulativa, bitolada, aí acordei um dia e pensei, poxa, posso morrer amanhã e não aproveitei nada, não me dei presente, não ajudei alguém, tá o $ parado e minha vida tá parada (nossa, quanta coisa pra se pensar quando acorda, né? rsrs). Me arrumei, fui dar uma voltinha e resolvi comprar umas rasteirinhas pra mim, estava precisando, ia viajar e não tinha nenhuma, eu juro que enquanto estava no shopping me telefonaram, me convidaram pra um trabalho a ser feito ainda naquela semana e o dinheiro ia dar e sobrar pra viagem! E uma outra vez resolvi - depois de um período cinza - cuidar de mim, me mimar mesmo, massagem, tratamentos e frescurinhas, me desliguei dos problemas dos outros e gastei um pouco comigo, do nada me mandam um e-mail dizendo que vão me pagar uma conta que está pendurada já faz 10 anos!
Energia é feita pra circular, coisas paradas atraem coisas paradas, mixaria atrai mixaria, mudar seu pensamento e a forma com que você trata o dinheiro faz com que ele vá e volte em dobro pra você.
Tudo guardado as devidas proporções é claro, não vale usar esse post como desculpa pra comprar o seu décimo peep toe preto, rs. Ou vale, né? Se tiver na promoção...

PS:já que estamos no assunto aproveite esse fim de ano pra fazer aquela mega limpa no seu armário, doe tudo que você não usa há mais de 1 ano, e abra espaço para coisas novas na sua vida. Só entra o novo se o velho sair!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

People don´t change

Não sei vocês, mas eu tenho alguns processos de sofrimento e queria muito me livrar deles. Talvez os conhecendo eu possa melhorar isso, mas pra ser bem sincera sou assim desde criança. É como diz o Dr. House: people don´t change.
Eu sou assim ó, chega um texto de um trabalho pra eu decorar, leio uma vez e entro em pânico, acho que nunca vou conseguir, que aquilo é impossível, sofro horrores, me dá preguiça, invento desculpas para não ler e de repente eu decoro. Vergonhoso! Quando eu era criança fazia O drama em véspera de prova, chorava, falava que não sabia nada e voltava com um 10!
Mas descobri que eu não sou a única, meu marido consegue ser pior, rs. O processo dele é em relação a compras e escolhas. Ele compra um sapato, adora, acha lindo, assim que chega em casa já não acha tão bonito, diz que o número tá errado, que machuca o pé, que não combina com nada, e isso fica acontecendo por dias, semanas e dependendo do assunto por meses. Aí, de repente, não mais que de repente ele fala: nossa, esse sapato é lindo, né?
Estamos praticamente empatados no quesito loucura, e vocês?

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Saci

Uns meses atrás sumiu meu negocinho de senha do banco, até comentei aqui. Procurei, revirei e até agora o negócio nao apareceu. Ontem estava na minha cama decorando um texto para um teste, levantei pra atender o telefone e quando voltei tinha sumido. Meu ap é micro, não tem onde perder um papel em 5 segundos, ainda mais que eu estava sozinha. Olha, até na geladeira eu procurei, embaixo da cama, do sofá, no armário, e nada. Evaporou-se. É o Saci, só pode rs.
Mas aí fiquei encanada, tipos será que não é pra eu fazer o teste? Pq como pode o negócio ter evaporado? Uma vez quando eu morava em Curitiba tínhamos alugado um carro, a mudança ainda estava sendo feita então só tinha uma caixa aberta, o sofá da sala coberto com um lençol e o colchão no chão, resolvemos sair e cadê a chave do carro? Procuramos muito, mas muito mesmo, levantamos o lençol do sofá, olhamos em baixo, passamos a mão, olhamos o colchão, dentro da única caixa aberta e nada. Chamamos o cara da empresa de locação de carro, ele foi lá levar a chave reserva. Ficamos meio assim e resolvemos não sair mais naquela noite, assim que decidimos isso levantamos o lençol do sofá pela terceira vez e simplesmente a chave apareceu no lugar que já havíamos procurado.
Sei lá, será que se eu decidir não fazer o teste o roteiro aparece?

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Laço

Um dos pedidos de casamento mais bonitos feitos em filme na minha opinião é o que o Ed Harris faz para a Julia Roberts na película Lado a Lado. Ele dá uma caixinha, ela abre e dentro tem um carretel de linha, uma ponta ele amarra no dedo dela e na outra ele coloca a aliança, enquanto a aliança percorre o caminho até o dedo ele faz um discurso belíssimo dizendo que no seu primeiro casamento ele deixou a linha se romper e que agora ele não quer que isso aconteça novamente.
Durante a nossa vida muitas linhas se rompem, brigas com colegas, desentendimento entre pais e filhos, rusgas entre irmãos, problemas com amigos. Acho até que tudo é reversível, a gente consegue consertar a linha, dá um nozinho e a ligação está feita de novo, dá até pra fazer um cachecol com a linha arrumada, mas o nó sempre vai estar ali, por mais que se disfarce, puxe pra dentro, cole, costure, e sempre vai incomodar.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Uma certa birra com o Natal

Fui ao supermercado semana passada e já tinham várias renas de pelúcia para pendurar na porta, ou seja, já é quase Natal oficialmente então posso começar a leva de posts sobre traumas de infância, papai noel e presentes. Sabe, eu tenho uma certa cisma com datas comemorativas como dia dos pais, das mães, Natal e afins, qualquer data que carregue uma certa obrigatoriedade de cumprir um cronograma e protocolo. Mas como você não gosta de Natal, pessoa sem coração! - alguém mais exaltado grita-, calma meu filho, eu já vou explicar, deixa eu divagar um pouco antes.
Quando era criança (nem faz muito tempo, tá?) era bem legal, tinha árvore, a gente saía pra comprar enfeites fofoletes, às vezes era na casa da vó e outros lá em casa mesmo, tinha a ceia, tinha presentes, mas nada muito tradicional, a gente abria os presentes bem antes da meia noite, assistia novela, aí jantava, vinha o especial da Xuxa e todas as crianças presentes já tinham cansado dos seus respectivos brinquedos e queriam o do outro. Isso sem entrar em detalhes de filas no shopping para ver o papai noel, eu nunca queria, era a decepção da família, até hoje guardo um certo, uhum, "respeito" por pessoas vestidas de Papai Noel (palhaços e afins, mas outro dia eu conto).
As crianças cresceram e os adultos deram uma desanimada forte, forte mesmo. Era uma briga pra se montar a árvore, ninguém queria cozinhar (como assim, não passo o Natal sem meu salpicão de frango defumado), meu vô já estava ficando velhinho e queria comer a ceia 6 horas da tarde, minha mãe num ânimo contagiante sempre escolhia esse dia para pegar no meu pé, um reburduncio.
Aí conheci meu marido e a família dele é oposta a minha em relação ao Natal. Oposto. Contrário. 180 graus. Espero ter me feito clara. Mega tradicional, funcionários são contratados, comidas são encomendadas, louças são alugadas, vestidos são comprados, a ceia começa às 22:00, os presentes só podem ser abertos à meia noite, boring pra mim que nunca me fiei às tradições. Respeito mas não compartilho. Logo eu que cansei de passar Natais de pijama, ceiando a hora que desse vontade, acabando com as cerejas da mesa antes mesmo de abrir os presentes. Ano passado eles até tentaram fazer uma coisa mais íntima, cada um levou um prato, mas acho que eles não curtiram pq esse ano vai voltar o velho esquema, e eu vou voltar a passar o Natal na casa da minha irmã, lá onde meu cunhado fica feliz com um dedo de Cidra Cereser ou Chuva de Prata (adooooro, rs), isso sim é que é tradição de Natal.
E a cisma, um leitor mais atento pergunta, calma, explico agora.  Neguinho briga o ano inteiro, fala mal do tio, reclama da prima e nesse dia todos resolvem se reunir e serem fofos, pq o espírito de natal que ZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz. Meu poupa gente, não é o cúmulo da hipocrisia escolher apenas um dia do ano para ser uma boa pessoa? A gente não deveria tentar ser uma pessoa melhor a cada dia do ano? Escolher uma época específica para isso me parece deveras suspeito.
Então é natal, já canta ao longe a Simone...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Mini saia justa

Passada a ferro e engomada com o que aconteceu na faculdade Uniban.
A menina foi com um vestido. E isso bastou para ser ameaçada de estupro, ser xingada de puta e outras amenidades. Fiquei mais chocada ainda que ontem no Fantástico disseram que não foi a primeira vez que isso ocorreu no local, mostraram imagens de uma menina tendo o seu carro chutado por motivos parecidos.
E mais passada ainda eu fiquei pq o Fantástico me chama a Glória Kalil para analisar o vestido, e faz votação virtual perguntando se a menina devia ou não deveria ter ido com aquele vestido.
Tá todo mundo entendendo errado, a questão aqui não é o vestido, o tamanho da saia, o figurino, e sim a atitude nazista e tacanha de universitários que param uma faculdade, desrespeitam os professores, chutam as portas, ameaçam um ser humano por causa de um pedaço de roupa.
Nada justifica. Que mente é essa? O que se passa na cabeça dessas pessoas? Como foi muito bem falado pela Astrid Fontenelle se um tacasse uma pedra todos iriam atrás. A massa é a massa. Disforme, podre, fede.
E capaz das namoradas dos rapazes defensores da moral e bons costumes se vestirem igual.
E muito capaz das meninas que fizeram parte terem saias mais curtas.
Mas não pode ir vestido assim numa faculdade, alguém grita. A questão NÃO é essa. Ninguém tem direito de agredir um ser humano, nem com motivo, o que dirá por um vestido.
Ainda bem que o mundo vai acabar em 2012 mesmo...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Adeus ano velho

Eu já estou com "adeus ano velho, feliz ano novo" na cabeça pq pra mim esse foi um ano arrastado. Arrastado no sentido de tropeços, pq na verdade passou muito rápido. Você não imagina quantos tropeços, lombadas e buracos é capaz de aguentar até passar por eles. E foram muitos, a maioria disfarçada de campos verdejantes, mas com armadilhas cobertas por flores e galhos. De algumas armadilhas eu desviei, em outras mergulhei de cabeça de olhos fechados.
Se tem uma coisa que aprendi nessa vida é que o mundo dá voltas.
E hoje ele continua girando.
Amanhã também.
E assim será até sempre.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A casa da minha vó

Morei em Santos, onde nasci, até uns 4 anos. Mãe e pai trabalhavam em São Paulo, meu irmão ainda não existia, eu e minha irmã ficávamos o dia inteiro na casa da minha vó. Lembro muito claramente de ir com minha vó no portão ver minha irmã ir para escola com uma saia branca plissada (linda) nos dias de educação física. Era meu sonho ter uma saia igual. Achava tão lindo vê-la se afastar de costas de mãos dadas com meu vô.
Quando ela voltava trazia da merenda um saquinho com umas bolachas deliciosas que a gente batia com leite no liquidificar e tomava feito vitamina, não consigo lembrar que gosto tinha ou de quem foi a idéia de bater a bolacha com leite, mas só sei que era bom, e parecia festa quando ela chegava com essas bolachas.
Minha vó morava na R. da Liberdade, 109, moramos um tempo lá, de dormir, acordar, tomar café, todos juntos, mas também lembro de um apartamento na Vila Belmiro que meus pais alugaram depois de um tempo. Desse apartamento não lembro quase nada, só de um abajour em forma de palhaço (kistch) e do meu vô me levando para assistir ao treino do Santos no campo que era muito perto, a gente ficava numa grade e ele me segurava no colo bem alto.
Na casa da minha vó tinha a Ilha da Fantasia, que era a garagem, cheia de milhões de cacarecos e que me parecia enorme ante meus 3, 4 anos. E também tinha a cadeira de balanço que meu vô sentava e contava histórias enquanto eu ficava puxando a pele da mão pra cima e rindo muito porque ela demorava pra voltar. A cadeira ainda existe, mas está na casa do vô, chamada assim porque a vó já foi pro céu.
Minha vó fazia rocambole e enrolava no pano de prato polvilhado de açúcar. Meu vô fazia caranguejo, comprava vivo e deixava no tanque para as crianças (eu e minha irmã) brincarmos, mas ele era bonzinho e matava os bichinhos antes de colocar na panela com tomate, cebola e cerveja. E ainda quebrava as patinhas e dava na nossa boca. Minha vó descascava laranja serra d'água (lima aqui em SP) e dava pra gente. Meu vô fazia o melhor feijão do mundo, sempre tinha carne seca, bacon e outras delícias. Minha vó fazia panetone sem as frutas porque a gente não gostava, sempre tinha manjar branco e batata cozida e frita na manteiga que eu adorava.
A gente dava banho de escova e sabão de côco na Guga, um cágado enorme que morava lá. Tinha goiaba com bicho na goiabeira e eu comia todos os tomatinhas cereja que minha vó plantava. Banho era de mangueira, no quintal, tinha que puxar a mangueira, passar pela janela, pendurar na grade e virava o melhor banho do mundo, mas quando a gente era menor o banho era no tanque, o mesmo em que os caranguejos passeavam antes de ir pra panela.
Na calçada tinha um ingazeiro, que dá um fruta parecida com a vagem da ervilha, só que dentro é cremosa, com fiapos e muito doce. Tinha um rack enorme na entrada, com pés palito, eu fuçava em todas as gavetas para descobrir segredos. Nesse rack que todo ano se montava a árvore de Natal, toda prateada, cheia de fiapos e bolas chiques de vidro que foram se quebrando com o tempo. Os presentes só apareciam depois que a gente saía pra dar uma volta com o meu vó e quando a gente voltava o Papai Noel tinhado passado por ali, que azar o nosso, ele sempre chegava quando a gente ia dar nossa voltinha. Minha vó sempre falou que só ganha presente quem acredita em Papai Noel.
Eu acredito até hoje e queria estar agora na Ilha da Fantasia chupando um ingá...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

2 coisas

Primeira coisa
Ontem tocou meu celular, 9 e meia da noite, hora da minha série favorita.
-Alô, D. Cinthya? Cinthya Rachel Abrantes?
-Sim, eu mesma.
-Olá, meu nome é Dejair e estou ligando do Citibank para lhe oferecer uma oportunidade como correntista...
-Hahhaha, é piada né? São nove e meia da noite você tá me ligando de um banco que nem é o meu?
-Não senhora, não é piada, é do Citibank mesmo.
-Bom Dejair, já que não é piada eu não vou nem deixar você falar, vou ter que desligar, um ótimo trabalho!
-...(atendente mudo)
-tuuuu, tuuuuu, tuuuuu

Segunda coisa
Detesto (depende da ocasião) quando afirmam que sabem o que eu estou pensando ou sentindo.
Num desses encontros de familia eu tava mega cansada pq estava cozinhando o dia todo e chega o fulano e fala:
-Você tá triste pq onãoseiquem não veio, né?
-Não, nem tava pensando nisso, tô cansada.
-Eu sei que vc tá triste pq ele não veio.
-Não é por isso, só estou cansada.
-Tudo bem, pode se abrir pra mim, vc ficou chateada que ele não veio né?

E a conversa pode se prolongar por horas pq a pessoa tem certeza que te conhece melhor do que vc mesma.
PS: o que acharam desse fundinho colorido, gostaram?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Encosta sua cabecinha no meu ombro e chora

Já ouviram falar naquela história que o processo de perda/luto/sofrimento tem fases? Você passa pela negação, acha que aquilo não está acontecendo, se isola, fica com raiva, negocia, entra em depressão e por fim aceita. Mas eu não sou assim não, percebi que meu processo de sofrimento é diferente, eu preciso chorar, como criança, sem ninguém por perto, mais ou menos assim...
Notícia triste: choro meia hora / fico bem algumas horas / choro mais uns minutos / fico bem / lembro no outro dia mas não choro / e beleza acabou.
Notícia triste grau elevado: choro meia hora / soluço como criança / fico parecendo o monstro do pântano, vermelha, catarrenta e inchada / pergunto Why God, why?? / bato a cabeça na parede / fico ótima / dois dias depois vem uma onde de tristeza por mais 10 minutos / suspiro / passa.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Essa pessoa e o mundo que a rodeia

Essa pessoa é bem legal, bonita, simpática, inteligente, cheirosa e modesta. Essa pessoa é casada. Essa pessoa um dia estava na casa da cunhada, irmã do marido e ficou com vontade de tomar marguerita. A cunhada ligou para uma amiga da mãe que não entende ironias.
-Oi amiga da minha mãe, a minha cunhada tá aqui grávida de vontade de tomar marguerita, tem a receita?
A amiga da mãe que não entende ironias (tão ruim quanto ter que explicar piada) ligou para a mãe da cunhada, vulgo sogra d´Essa pessoa e disse que a nora dela (essa pessoa) estava grávida.
A sogra ligou para a filha (cunhada dessa pessoa) e perguntou, sendo que a cunhada desmentiu tudo, disse que era apenas uma piada.
Mas a sogra não acreditou. Espalhou para a família e acha que Essa pessoa está mentindo. Já falou pra irmã, pra mãe dela, pra vizinha da cunhada e anda olhando meio torto pra barriga dessa pessoa, que no máximo é uma gordurinha localizada, vulgo provolone.
Capaz de se não aparecer um bebê daqui a 9 meses a sogra ainda achar que Essa pessoa deu o "provolone" para adoção...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

...remoendo pequenos problemas...

Às vezes acho que tá tudo virado, todo mundo louco, pq não é possível o ministério público estar preocupado (e mandando notificação) para o autor Manoel Carlos só pq a atriz mirim Klara Castanho vai fazer uma vilãzinha. Tão dizendo que pode prejudicar a menina.

Pode prejudicar mais do que ficar sem estudar, passar o dia no farol pedindo dinheiro, não ter o que comer, ser agredido pela própria família, não ter onde morar, fazer trabalho escravo, usar drogas, não ter futuro, não ter sonhos, não ter perspectiva?

Alguém me explica?

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Rainha dos taxistas

Eu sou musa. Eu sou fashion. Eu sou o must. Eu sou a rainha dos taxistas. Quiçá padroeira!
Peguei um táxi na sexta e lógico que puxei assunto (shame on me!): Nossa, que calor né? Ou qualquer deixa metereológica do tipo. Blá daqui, blá de lá, e começa o ataque:
-Você sabe que taxista é meio psicólogo?
-Imagino, as pessoas gostam de conversar, né?
-Não só de conversar, eu vejo cada coisa aqui nesse táxi.
Alerta amarelo
-Qual a sua profissão?
-Eu sou jornalista, escrevo, etc.
-Hum, olha o que você vai escrever sobre mim, hein? Porque se eu te contar cada coisa picante que já vi nesse táxi...
Alerta amarelo com bolinhas vermelhas
-Você sabe que cada um tem a sua história, né?
-Uhum...
-Outro dia entrou uma mulher no meu táxi e me pediu pra levá-la pra casa, mas que não estava feliz porque o marido não dava no couro fazia dois anos!
Alerta vermelho (Pai nosso que estais no céu...)
-É como eu te falei, todo mundo tem a sua história. E você, qual é a sua?
Uhu, altas sirenes, rave, ácido, gnomos saltitantes, ecstasy!!!
-A minha? Eu não tenho história nenhuma, inclusive pode me deixar aqui nessa esquina mesmo!
Fui a pé até a minha casa...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Tensão

Eu durmo de boca aberta -calma, essa informação é necessária para o post, continue lendo- mas nem sempre eu dormi tão lindamente assim. Eu tive a sorte de ter os 4 dentes do siso, que beleza, e a minha dentista agourenta mandou eu tirar antes que desse algum problema. Como boa brasileira adiei o quanto pude (adiei tanto que quando liguei pra marcar, o dentista tinha partido dessa pra melhor, mas isso é história pra outro post), até que deu algum problema e fui de emergência na fofa da dentista.
Delícia, tive que tirar um pouquinho da gengiva com aquele bisturi elétrico, fica um cheirinho de churrasco incrível no ar. Enquanto a anestesia habitava meu corpo, permaneci feliz, muito feliz. Mas ela passou, e posso dizer q a recuperação foi pior que tirar os 4 dentes do siso de uma vez. A noite eu acordava com dor e percebi que doía pq eu fechava a boca com força e acordava com aquela pontada. Fui obrigada a aprender a dormir de boca aberta. Que cena linda.
E hoje muitas vezes na hora que eu vou dormir percebo que troquei a tensão na boca por outras coisas. Noto que minha mão está apertando o edredon, que meu pé está forçando o colchão, que meu pescoço não está relaxado no travesseiro. Se eu fico assim numa situação que deveria ser tranquila, a hora da naninha, imagina como eu não devo me tensionar o dia inteiro.
Cinthya, teu sobrenome é tensão (e ansiedade, e preguiça, e impaciência...)!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Coisas que aprendi pelo caminho

A gente se preocupa e dá muito importância à coisas que não deve, porque tudo passa.
Tudo.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Modo de usar

Eu leio tudo. O manual de instruções, indicações de uso, modo de preparo.
Mas eu tenho uma mania.
Faço tudo ao contrário.
Sei lá, gosto da emoção, gosto de testar.
Meu marido fica louco pq ele faz exatamente o que está escrito.
Pré aqueça o forno a 180 graus por 10 minutos.
Ele pré aquece o forno a 180 graus por 10 minutos.
Eu ponho no 250 e deixo 2 minutos. Isso quando pré aqueço.
Não misture esse produto (easy off bang) com água sanitária.
Há! É a primeira coisa que eu faço, quero ver o que acontece. E sai fumacinha e fica quente, então não façam isso em casa, rs. Ah, mas fica tudo tão branquinho, rsrs.
E acabei de comprar o esmalte única camada e lógico que passei 2...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Aos leitores

Sempre achei que todo mundo tem um motivo de estar aqui. Aqui nesse planeta. E que muitas vezes por meio das nossas profissões podemos fazer algo em relação à vida do outro. Uma professora tem grande importância na formação do ser humano, um psicólogo ajuda você a se entender melhor, etc.

Quando eu tinha uns 14 anos, dei uma surtada: pra que servia a minha profissão afinal? Não via sentido prático pra coisa. Mas aos pouco fui entendendo que muita gente chega em casa, liga a TV e se diverte, se emociona, passa seu tempo. Muitas vezes é a única diversão daquela pessoa. Ou então a pessoa é sozinha, está no hospital, e a TV é a sua companhia. O que a gente faz influencia a vida de alguém.

Aí eu comecei a escrever esse blog. No começo você acha que está escrevendo para você mesmo, que ninguém lê. Aí começam a chegar pessoas, elas deixam comentários, conversam, fazem sugestões, viram amigas. Qual a importância de escrever? Sei pelos comentários que vocês deixam que muitas vezes faço vocês rirem, e isso me deixa tão feliz, mas tão feliz que não dá pra calcular. Mais inchada que um balão (um balão bonito, por favor!). Minha mãe sempre me dizia que eu deveria ser comediante pq faço as pessoas rirem, mas poucos conheciam esse lado, aqui no blog esse lado às vezes aparece, e me sinto muito bem de compartilhar com vocês.

Mas nem todos os dias são felizes, e amigos também compartilham os dias mais cinzentos, não é? E sinto que todos vocês são meus amigos. E quando tem um post meio desanimado as pessoas dão força, dão palpite e nos dão a mão, mas muitas vezes nem sabemos o alcance que aquele post teve. Pq posso escrever alguma situação aqui e alguém pode se identificar e ver que não é a única no mundo que passa por aquilo. Mas muitas dessas pessoas não deixam comentário e eu nunca vou saber se minhas palavras fizeram o bem para alguém.

Mas fiquei sabendo de uma pessoa que está passando por um momento delicado na vida, que vem aqui no blog, dá risada, e muitas vezes se vê refletida naquilo que está escrito. Ela deixa alguns comentários às vezes, mas só fiquei sabendo que ela gosta tanto assim porque é amiga da minha irmã, a Célia. E ela até briga com a minha irmã pq esta não tem costume de ler as minhas bobagens, rs. Isso aí Célia, briga mesmo!

Então através da história da Célia quero agradecer a todos os leitores e leitoras que sempre passam aqui pra espiar, comentando ou não comentando, é ótimo poder fazer parte do seu dia.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Coisas

-Será que as pessoas realmente só dão valor quando perdem? Vi muita gente reclamando de barriga cheia essa semana.
-Simancol para pessoas que se oferecem para ir junto em uma viagem romântica.
-Twitter vicia.
-Não gosto de pessoas que cutucam o pote de margarina com faca de serra!
-Vanish não tira mancha do colarinho sem esfregar, fato.
-Meu médico não quer que eu coma doce na TPM, talvez possa trocar o doce por estrangular alguém.
-A manicure nunca tem a cor que eu quero. E se eu peço cremoso ela insiste no cintilante.
-Acho que tenho cara de boazinha, pq as pessoas são muito folgadas comigo e me pedem coisas absurdas.
-Sonhei de novo que estava sendo perseguida (recorrente), mas dessa vez um amigo me acompanhava.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Segunda

Eu sempre falo que a gente não pode esperar nada de ninguém pq senão a gente pode se magoar. Não dá pra saber o que se passa na cabeça das pessoas, o que elas querem, o que elas pensam e como elas realmente são.
Por um segundo quebrei essa regra e foi como um banho de água fria. Eu nem estava esperando nada das pessoas, mas não imaginei o que ia por dentro delas.
Bora respirar fundo e começar de novo.
Boa semana!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Mais um personagem de Além da Imaginação

Ainda a história da manicure, vide post abaixo
-Qual é o seu nome, senhora?
-Cinthya e o seu?
-Xxxxessele.
Hum, a mulher deve ser paraguai, argentina, pensei e conclui:
-Gisele?
-Não, Chessele.
-Chessele?
-Isso, peraí que eu vou te dar um cartão.
O que tava escrito no cartão Brasil?????
GI SE LE

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Faça bem feito

Eu sempre parto do princípio que independente de qual for o seu trabalho, faço bem feito.
Cara, você só faz aquilo o dia inteiro, tem que entender do negócio e fazer direitinho.
Médico, pedreiro, advogado, cabelereiro.
Não importa.
Sábado enquanto esperava meu marido cortar o cabelo aproveitei e fui fazer a unha, coisa que raramente faço no salão.
-Como vai ser, senhora?
-Não precisa tirar a cutícula, só do ladinho.
-Redonda ou quadrada?
-Quadrada.
-Que cor?
-Tem cinza, lilás?
-Não e não.
-Tá, pinta com essa aí mesmo (um rosa indefinível).
Li minha revista tranquilamente, distraída da vida.
Saí de lá com minha cutícula toda recortada, com pelinhas levantadas, e a unha redonda.
Volto? Nunca mais.
Indico? Nem pensar.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nananinanão

Experiência científica!!!
Tem uma pessoa que sempre me pede a mesma coisa, eu sempre digo não. Ela pede e eu digo não. Pede=não. Pede=não. A situação se prolongou por um tempo, até que eu resolvi mudar de tática, eu disse sim! Há! Adivinha o que a pessoa fez?

A-aproveitou o meu sim e ficou toda feliz
B-ficou chocada mas gostou
C-desconfiou e perguntou de novo
D-entrou em estado de choque e ignorou o sim
E-ignorou o sim e falou: você nunca faz o que eu te peço

Que rufem os tambores!
Trrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr
Ela escolheu a alternativa D seguida pela E!
Ou seja, ou ela perguntava pq sabia que eu ia dizer não, ou não queria que eu dissesse sim, ou queria que eu dissesse sim mas nunca esteve preparada para ouvir.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sansão

Que relação louca é essa que a mulher (em especial a brasileira) tem com o seu cabelo? Aqui parece que a regra é: quanto mais comprido melhor! Não importa se tá com 3 cores, ponta dupla, ressecado, quebrado, elas querem comprimento, e pronto!

Eu já sou diferente, adoro mudar meu cabelo, cortar, tentar cores novas, só não gosto de nada definitivo como alisamento, por exemplo. Cortei meu cabelo faz uns dois meses, ele tava bem grande e deixei na altura do ombro, repicado. Quando uma amiga viu teve um choque: mas por que você cortou o cabelo? Tava tão bonito, tão grande... Ela se lamentou por mim.

Tem muitas que não gostam de mudar nem de penteado, é todo dia daquele jeito, não colocam nem uma tiarinha, se acostumaram daquele jeito e rejeitam mudanças. Nos programas de tranformação você vê bem a reação dessas mulheres. Às vezes o cabelo tá detonado, feio mesmo, e ainda assim elas relutam em cortar qualquer coisa mais que um dedo.

Talvez as mulheres se apeguem tanto a esse cabelo, pois essa, quem sabe, seja a relação mais segura, longa e fiel que já tiveram na vida.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Open your mind

Peguei lá no http://sacolaphyna.blogspot.com/ que por sua vez pegou de http://muitolegalblog.blogspot.com/

50 perguntas para abrir sua mente

1. Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos você tem?
Sempre acho que tenho 23, vai entender.

2. O que é pior errar ou nunca tentar?
Nunca tentar.

3. Se a vida é curta, porque fazemos muitas coisas que não gostamos e gostamos de muitas coisas que não fazemos?
Porque tem certas coisas que simplesmente precisamos fazer, para o mundo girar, apra a vida seguir. Infelizmente não dá só pra fazer o que a gente gosta.

4. Quando tudo foi dito e feito, você disse mais do que fez?
Ah, provavelmente, rsrs.

5. Qual é a coisa que você mais gostaria de mudar no mundo?
A ignorância.

6. Se felicidade fosse a moeda nacional, que tipo de trabalho o tornaria rico?
O meu mesmo, adoro o que faço.

7. Você está fazendo o que você acredita ou você está regularizando o que você está fazendo?
Não tô fazendo NADA, rs. Pq no que eu faço e acredito as outras pessoas não acreditam.

8. Se a média de vida humana fosse de 40 anos, como você viveria sua vida?
Sem tantas preocupações

9. Até que nível você acredita que controlou o curso que sua vida tomou?
Nossa, nunca tinha parado pra pensar nisso, pq sempre deixei a vida levar...

10. Você está preocupado em fazer as coisas corretamente ou fazer as coisas certas?
Fazer as coisas certas.

11. Você está almoçando com três pessoas que respeita e admira. Eles começam a criticar um amigo próximo, sem saber que você é amigo dele. O criticismo é estranho e injustificável.
O que você faz?
Digo que conheço a pessoa.

12. Se você pudesse dar um conselho para uma criança que acabou de nascer, qual seria?
Escute mais a sua intuição.

13. Você quebraria uma lei para salvar uma pessoa que ama?
Mas é lógico!

14. Você já viu insanidade onde depois você viu criatividade?
Sempre, rs.

15. O que é aquela coisa que você sabe que faz diferente da maioria das pessoas?
Todo mundo faz as coisas ao seu modo, mas eu penso diferente em relação ao amor, a família, a rituais como formatura, casamento, leis, papéis assinados...

16. Quais são as coisas que te fazem feliz, mas não fazem todo mundo feliz?
Livros e o meu trabalho

17. Qual é a coisa que você ainda não fez e que gostaria de fazer? O que te impede?
Viajar sem data para voltar, sem destino, sem mala. Não ter garantias na volta é o qeu me impede.

18. Você está se segurando em alguma coisa que você precisa se desfazer?
A gente sempre se segura em coisas qeu não deveria, as amarras são difíceis de serem cortadas.

19. Se você tivesse que se mudar para um estado ou país além daquele que você mora, para onde você iria e por quê?
Não sei, o mundo é tão grande. Algum lugar entre França e Itália.

20. Você aperta o botão do elevador mais de uma vez? Você realmente acredita que ele fica mais rápido?
Não aperto não.

21. Você prefere ser um gênio preocupado ou um simples pateta?
Gênio preocupado.

22. Porque você, é você?
Cada um é cada um, eu não posso ser o outro.

23. Você é o tipo de amigo que você quer como amigo?
Com certeza.

24. O que é pior, quando um grande amigo se muda, ou perde contato com um grande amigo que mora bem perto de você?
Qdo um grande amigo se muda...

25. Pelo que você é mais grato?
Tenho gratidão por tudo na minha vida. Desde o colchão que durmo até a minha mente alerta.

26. Você prefere perder todas suas velhas memórias ou nunca ser capaz de ter novas?
Perder as velhas.

27. É possível saber a verdade sem desafiá-la primeiro?
Sim.

28. O seu pior medo se tornou realidade?
"de tudo q se tem mais medo a vida nos traz em dobro para que tenhamos que enfrentar"

29. Você se lembra aquela vez que você ficou extremamente chateado há 5 anos?
Adoraria dizer que não, mas lembro pq foi uma ocasião marcante.

30. Qual é a lembrança mais feliz da sua infância? O que a torna tão especial?
Brincar na garagem da minha vó e das músicas que ela cantava pra eu dormir.

31. Em qual fase no seu passado recente você se sentiu mais apaixonado e vivo?
Ah, eu sempre me apaixono por uma coisa ou outra.

32. Se não agora, quando?
Sempre...

33. Se você não alcançou aquilo que procura ainda, o que você tem a perder?
Ninguém tem nada a perder, a não ser a cabeça, rs

34. Você já esteve com alguém, não disse nada, e saiu sentindo que teve a melhor conversa da vida?
Já...

35. Porque religiões que apóiam o amor causam tantas guerras?
Pq quem inventou a religião foi o homem, então...

36. É possível saber, sem dúvidas, o que é bom e o que é mau?
Rezo todo dia pra perceber isso.

37. Se você ganhasse um milhão de dólares, você pediria demissão?
Trabalharia por conta própria.

38. Você prefere ter menos trabalho para fazer, ou mais trabalho sobre o que gosta de fazer?
Mais trabalho que eu goste, sem dúvida.

39. Você já sentiu que viveu um dia 100 vezes antes?
Algumas vezes.

40. Quando foi a última vez que você andou na escuridão com apenas uma pequena faísca que você realmente acreditava?
As mulheres sempre andam na escuridão atrás de algo que acreditam.

41. Se você soubesse que todo mundo que você conhece fosse morrer amanhã, quem você visitaria hoje?
Um amigo muito querido.

42. Você diminuiria sua expectativa de vida em 10 anos para de tornar alguém famoso?
Imagina, minha parte em dinheiro por favor, rs

43. Qual é a diferença entre estar vivo e realmente viver?
Estar vivo é biológico, viver é saber aproveitar.

44. Quando é a hora de parar de calcular riscos e recompensas, e simplesmente seguir em frente e fazer o que acredita ser correto?
Sempre.

45. Se nós aprendemos com nossos erros, porque estamos sempre com medo de cometer um erro?
Pq sabemos que mesmo aprendendo a gente pode errar de novo.

46. O que você faria de diferente se soubesse que ninguém iria te julgar?
Escreveria uma autobiografia .

47. Quando foi a última vez que você percebeu a som da sua respiração?
Não lembro.

48. O que você ama?
Procuro ampliar esse sentimento para tudo a minha volta.

49. Daqui a 5 anos, você irá se lembrar do que você fez ontem? E um dia antes? E outro dia antes?
Nem ferrando.

50. Decisões estão sendo feitas agora. A questão é: Você está fazendo-as por si mesmo, ou está deixando que outros as façam por você?
Meio a meio.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

É preciso amar as pessoas

Uma das coisas mais chocantes que descobri quando casei (não, não tem nada a ver com lua-de-mel, rs) é o modo como a nossa criação nos influencia e até por vezes dificulta a convivência com os outros. Coisas que pra mim eram absolutamente normais, naturais, pro meu marido eram motivo de surpresa e até desaprovação. A recíproca é verdadeira.

Lá em casa por exemplo não temos o costume de dar presentes em aniversários e datas tais, é tranquilo, ninguém acha ruim, feio ou falta de atenção. Se aparecer presente é bônus, rs. Na casa dele é meio que obrigação, tradição, motivo de espera e ansiedade, e isso pra mim é engraçado. Não tem certo nem errado, é apenas o modo como fomos criados.

Até que ponto o ambiente, a criação, a escola, os amigos, os pais nos influenciam? Claro que temos a nossa própria personalidade, tanto que vemos pais maravilhosos com filhos "tortos" e pais "tortos" com filhos fantásticos. Se a criação foi bacana, amorosa, com bons exemplos, e o filho não se torna lá essas coisas, pra mim não é problema dos pais, pois é como minha vó falava quando um filho ou neto fazia coisa errada: ensinar eu ensinei, mas ele não assimilou. Hahahha.

Mas tem muito pai torto por aí. Somos ensinados que pai e mãe tem sempre razão. Tem mesmo? Lógico que no básico da moral e dos bons costumes os conselhos clássicos tem seu valor e estão corretos (ei, leva o casaco que vai esfriar!), mas é preciso saber usar a sua própria cabeça.

É como eu já disse por aqui, pra ser pai e minha mãe tinha que passar por um exame.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Baby

Aí que eu tava passeando, entrei numa lojinha, vendo as roupinhas, fazendo hora.
Chega a vendedora: procurando algo especial?
-Não, não só vendo as novidades.
-A "senhora" está GESTANTE?
What the fuck?
Nunca pergunte pra nenhuma mulher isso, nem se ela estiver de 9 meses!
Perdeu a cliente, né amiga?
Nunca mais uso aquela bata, nunca mais!
Vou ali me recolher em posição em fetal e já volto.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Pochetinha

Estava eu, linda e loira, na frente do Shopping Iguatemi em SP (pra quem não sabe mega uber luxo) para participar de um evento de blogs de beleza (em breve info aqui e no trendy twins). Estava eu toda arrumadinha, menina fofucha, maquiagem leve, cabelo no lugar, roupinha escolhida a dedo.
Estava eu lá toda miguxa e uma mulher se aproximou. Muito. Praticamente dava pra abraçar a moça. A tia me mediu. Inteira. Dos pés a cabeça, olhou feio mesmo.
Agora você acha que ela estava toda linda, esplendorosa e poderosa?
Não amiga, ela tava de pochete na cinta.
De pochete.
Falar o que?
I rest my case...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Cinco coisas q me irritam

Adooooro meme e pesquisas e afins, rs. Talvez eu devesse trabalhar no IBGE... Vou pensar...
Bom, que me passou a tarefa foi a Ju Augusto, minha ameeega do mundo real que agora também bloga.
Preciso escrever 5 coisas que me irritam... Hum, podem ser as 49562094 coisas que me irritam? Ah, não? Droga, então lá vai.
1- pessoas que enrolam na fila do banco, do caixa, do cinema, dos correios, que conversam com o atendente sobre o filho, sobrinho, chuva, calor, quero esganar todas elas com requintes de crueldade.
2- jeitinho brasileiro, querer se dar bem em tudo, sair sem pagar, furar fila, jogar lixo na rua, aca, aca, me dá nos nervos.
3- a grandissíssima filha da putagem que é nosso alto escalão do governo, vergonha alheia, cada vez mais impostos, mais trapalhadas, tenho vergonha!
4- adolescentes que se acham muito mega hiper phodásticos, incríveis e que são os melhores do mundo e não conseguem conversar sobre nenhum assunto minimamente inteligente.
5- gente que não entende piada, hahhahahah

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Não julgue para não ser julgado

Acabei de receber um coment (que eu não autorizei, o blog é meu e isso não é uma democracia) dizendo que a pessoa ficou muito decepcionada comigo pq eu sou fútil, que ele esperava estar errado, sem querer julgar mas já julgando.
O ser entra no meu blog e lê um post (o da dica de beleza, aqui embaixo) e me julga por 2 parágrafos, não é o máximo? E ainda escreve num péssimo português, mas vamos pular essa parte.
Antes de mais nada: leia o blog e não apenas um post. E outra, se eu quiser escrever só sobre tipos de meia calça, qual é o problema? A gente não pode escrever sobre o que quer? Essa é a parte chata de se trabalhar na TV, a pessoa nem te conhece e já te julga, feio, feio, menino feio. Pq eu teria um blog mega chato falando sobre a situação econômica mundial? Aí eu não seria fútil?
Finaliza de um jeito fofo (verdade, sem ser irônica) e deseja sorte. Vocês sabem que normalmente eu nem ligaria, mas tô cansada dessa patrulha, todo mundo olhando, te vigiando, te julgando, isso aqui não é Big brother não...
Saco, e nem tô na TPM...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Dica de beleza mega barata

Eu tenho a pele seca e é muito difícil achar um sabonete, uma loção, alguma coisa que limpe a pele e tire a maquiagem ao mesmo sem deixar aquela sensação de repuxamento ou de puro óleo.
Lendo bloguitos de beleza vi que muitas meninas retiravam a make com o Shampoo Infantil da Johnson e resolvi testar na minha pele.
Gente, o negócio funciona que é uma beleza, custa menos de 6 reais, tira bem a maquiagem e limpa a pele sem repuxar. Como a minha pele é muuuito seca, às vezes fica um pontinho de ressecamento facilmente resolvido com hidratante.
Mas recomendo, bom, bonito, barato e funciona!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Xixi...

Se vc for mulher na essência da palavra, aposto que é só entrar no carro, metrô, ônibus, botar o pé na rua, que dá aquela vontade irresistível de fazer xixi. Não vou nem comentar o que acontece qdo a gente viaja, pq por mais que eu tenha feito xixi 495830 vezes antes de sair de casa, basta entrar na estrada que minha bexiga chora.

E como é difícil ser menina nessas horas. Pq meu Deus, não temos um pinto embutido? Que horror ter que fazer xixi sentada num banheiro que não é o seu. Se o banheiro tem aquele assento de papel descartável, provavelmente a privada vai estar toda respingada e o papel não vai aliviar. Se a privada visualmente está seca, pode apostar que o assento descartável acabou. E aí se vc parte para a estratégia do papel higiênico forrando o vaso (ou espirrando álcool gel), pode ter certeza que a vontade de fazer xixi vai ficar tão grande que você não vai aguentar esperar e vai ter que se render a natureza, sentando no vaso (pq ficar agachadinha é só para atletas olímpicas, minha perna começa a tremer quase que imediatamente) e rezando pra Nossa Senhora do Sanitário Higienizado te proteger e fazer com que nenhuma bactéria toque a sua pele, amém!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Seguidora de número 200

Ae, o bloguinho tem 200 seguidores, pra ser mais exata 201, rs.
E a seguidora de número 200 é...
Atenção....
Rufem os tambores....
Talitaaaaaaaaaaa.
Parabéns Talita, vc acaba de ganharrrrrrrrrr
O prazer de um post em sua homenagem!!!
Aplausos para Talita!!!!!!!!!
Clap clap clap!!!!
Em breve voltamos com nossa programação normal...

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Quer pagar quanto? (update)

Quanto será que uma roupa custa realmente?
Me fiz essa pergunta esses dias por causa de uma promoção, já explico.
Tem uma loja chiquetosa aqui em SP, quer dizer, eu acho, uma saia custar quase 300 é bastante, né? Bom, pra mim é.
Daí que passeando por um shopping descobri um outlet dessa marca, tudo novinho, sem defeitos, barato apenas pq o shopping não tá indo bem. Fui lá e tinha uma saia leeenda, adoro saias, vestidos e coisas menininhas, na etiqueta R$237,00, na promoção R$79,00.
Oh, belezinha, quase o preço de uma saia na Renner. Não tinha o meu número, fui embora.
Semanas depois voltei e a mesma saia estava por R$49,00. Vixe que maravilha, tinha o meu número, mas ficou grande, droga, fui embora de novo.
Desisti.
Mas como nem quer nada fui almoçar lá de novo e passei em frente a loja. Adivinha quanto estava a saia? R$19,00!!!!!! Oi? menos de 20 reais! E tinha um número menor que ficou perfeito.
Agora eu te pergunto, se eles vendem por 19 reais (lembrando q o preço original era 237!!) te garanto que eles não estão perdendo nada, quanto será que eles pagaram por essa peça?

PS: atendendo a pedidos a marca é Shoulder e a loja fica no shop. West Plaza, e infelizmente não estou ganhando nada por está divulgação, rs.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Por isso não provoque...

Quando eu tinha uns 17, 18 anos nem sabia direito o que era TPM. A única coisa que eu sentia de diferente é que ficava um pouquinho mais impaciente do que de costume, mas nada muito grave, às vezes eu nem notava.
Mas descobri que agora eu viro uma versão daquela série de TV, o Super Sincero, eu sou a MEGA SINCERA e SUPER IMPACIENTE.
Não pergunte a minha opinião nessa época tão linda do mês. Não pergunte pq eu vou dar...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Testando

Eu falo pouco do meu trabalho aqui, pq pra mim esse blog é só diversão e as bobagens insanas que saem da minha cabecinha. Mas quero falar de algo que é comum a todos os atores (adendo, hoje dá até vergonha falar que é ator, né? pq todo mundo é ator, apresentador, modelo, manequim e rainha de bateria. rainha de bateria eu não sou pq infelizmente não possua aquela bunda escultural, droga!)- o teste.
Gente, fazer teste é a pior coisa que há na vida de um ator. Imagina ser julgado, olhado, gravado, analisado, observado por várias pessoas e não importa o quão bem você se saia, se um zé mané que não sabe nem ler chegar lá e tiver a cara do personagem, é ele que vai ser escolhido, e ponto.
Tem vários tipos de teste. Podem pedir para vc decorar um texto, por exemplo, aí você chega lá (nervosona) e nunca sabe o que o cara vai pedir. Ele pode querer que vc fale o texto exatamente como está no papel e se voce errar uma palavra o diretor vai ficar pedindo para repetir até o texto sair fiel. Ou então ele fala pra vc desencanar e fazer do seu jeito, legal, mas e se o seu jeito não for o jeito dele? Hum...
Mas o mais divertido (not) é quando ele fala: Ah, sei lá, vamos improvisar em cima do personagem. Em cima do personagem que você não conhece, não tem a menor idéia de como ele age e o cara fala gravando e aí te vira minha filha.
Também é comum ouvir: vc tem carinha de menina, vc tem cara de mulher, vc é muito magra, acima do peso para o papel, queria alguém menor, vc é muito baixinha, ou seja, é uma incógnita.
Ontem eu fiz um teste bem legal, mas no fim ouvi a frase fatídica, "pode improvisar um pouquinho agora, dentro do personagem". Sim amiga, você conversa com você mesma, improvisando frases que o personagem (que vc ainda não conhece bem) diria, na frente de 10 pessoas, duas câmeras e luz na cara.
É quase uma coisa Tarso Cadore, afinal pra ser ator tem que ser um pouquinho louco.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Tradução

Seu marido te telefona saindo do trabalho. O que ele quer dizer com a seguinte frase:
-Oi amor, vou tomar uma cervejinha com o pessoal e daqui a uma hora tô em casa.

Ele quer dizer:
A- Nem me espera acordada que vou passar a noite na rua.
B- Oi amor, vou tomar uma cervejinha com o pessoal e daqui a uma hora tô em casa.
C- Volta daqui umas 4, 5 horas.
D- Telefonar? E meu marido lá me avisa?
E- Imagina, meu marido é um santo e nunca sai pra tomar uma cervejinha.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Gostosa

Aí você morre. Porque um dia todo mundo vai morrer, dizem que é a única certeza que temos, né?

Aí você chega ao céu. Uma vibe branca de neve antes da madrasta. Musiquinha angelical (sem harpa, pq harpa não é bem no céu que toca, é mais embaixo). Bichinhos saltitantes. Céu azul. Bate o maior papo cabeça com São Pedro (gente finíssima por sinal). Circula por um tempo, faz umas amizades e aí no alto falante: Senhora fulana, favor comparecer ao setor de reencarnação.

Saco, tem que voltar, fazer o que.

-Então D. Fulana, muito em breve você vai voltar para a terra, e olha que maravilha, pro Brasil de novo!

-Que beleza. Brasil. Legal, já tô acostumada com o clima, com o povo, com o jeitinho e sinto muito falta de feijoada.

-Ah que ótimo! Ficamos felizes que nossos clientes fiquem satisfeitos. Agora, algumas formalidades, a gente tem que escolher a sua família, tipo físico, profissão, esses detalhezinhos. Vamos começar pelas características físicas então. A senhora precisa passar na fila da altura, cor do cabelo, olhos, inteligência, cintura, tamanho do bumbum...

-Hum, vou correndo então pra fila da inteligência!

-Mas a senhora não aprende mesmo, né? Já falei que vc vai para o Brasil!

-Sim, e daí?

-Se me deixar "um" pro guaraná, deixo a senhora passar 2 vezes na fila da bunda! Vai por mim. Sucesso garantido...

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Pollyana

Não que eu queira, ache bonito ou feio, mas sempre fui um tantinho Pollyana, rs.
Não que eu acredite naquelas propagandas de margarina, apesar de chorar assistindo uma, mesmo sem estar na TPM, rs.
Mas às vezes, sei lá...

Não dá vontade de sair correndo pelada, gritar no meio da rua, experimentar todas as caipirinhas de um restaurante, chorar na mesa, terminar um namoro sedada de Dormonid (essa eu já fiz, hahahha), pagar peitinho, sair sem calcinha com uma mini saia e ser fotografada, botar uma foto pelada como avatar do twitter, falar que tem parente que é bom só no albúm de fotografia, beijar aquela menina gata, arrancar a roupa daquele menino, dançar no poste besuntada de glitter, escrever um monte de baixarias no blog e nem se importar com o que vão falar?

Hahahahahha.
Ah, nem dá vontade, vai ver sou Pollyana mesmo, rsrs

sexta-feira, 24 de julho de 2009

A chuva

Vcs já sabem que meu vício é escrever. Escrevo aqui, no Trendy Twins, no meu diário, livros infantis e também alguns micro contos.
Hoje com esse tempo chuvoso achei um que combina com a metereologia.

A chuva caía forte e pesada. Era quase impossível enxergar o prédio ao lado. Nuvens cinzas, gordas, que não mostravam a menor disposição para ir embora faziam conjunto com as gotas que explodiam no chão apressadas e famintas.
Mas ela não ligava para o tempo lá fora.
Sentada no chão, olhando pela porta de vidro da varanda, ela realmente não se importava, porque o tempo combinava com seu estado de espírito.
Não, ela não estava deprimida ou coisa assim. Nenhum remedinho milagroso poderia ser usado. Nenhum motivo específico, nenhum problema real, nada palpável.
Estava abrigada, alimentada, casada, cheia e vazia.
Os pensamentos é que estavam preenchendo cada espaço do seu corpo, mas essa montanha russa, essa falação na mente é que a faziam se sentir estranhamente vazia.
Nada.
Sem motivo.
Acordou assim.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

São Longuinho, fail

Aí some o birotinho de senha do banco da pessoa.

São Longuinho nem aí.

Pulinhos e gritinhos prometidos e ele, nada.

Bora ir ao banco.

CPF, bla, bla, bla, preisa descadastrar o birote antigo pra pegar um novo.

Ok.

Então, pergunta a gerente, qual é o número do negócio que sumiu?

Oi?

Se sumiu como é que eu vou saber?

terça-feira, 21 de julho de 2009

Níver do bloguinho

Vixe!
Que relaxada eu!
Ontem o bloguinho fez 2 aninhos.
Ah, um bebê.
Gente, obrigada pela companhia, fofocaiada, terapia, troca de receitas, conselhos e carinho.
Beijos

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tentando

Sabe aquela pessoinha que vc tem que conviver? E sabe qdo essa mesma pessoinha não te passa pela garganta?

Já tentei. Juro.

Ela não é má pessoa. Todo mundo tem defeitos que não anulam a sua bondade.

É que esse defeito que ela tem me irrita a úlcera que nem tenho.

Não é culpa dela.

Eu tô tentando, juro.

Mas a minha intuição GRITA.

E confio muito na minha intuição...

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Jogo de Futebol

Arquibancada.
Cadeira numerada.
Geral.
Pode ser no Maracanã, ou num joguinho de várzea na esquina de casa.
O único lugar do mundo onde heterossexuais convictos ficam unidos numa só voz, sem camisa, suados, emocionados, se abraçando, e assistindo 22 homens de shortinho correndo atrás de uma bola.
Vai entender...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

lá de longe

De onde vem a inspiração? De que lugar ela brota? Que recanto ela habita?
Não sei.
Mas deve ser longe.
Porque hoje ela se perdeu, entrou na rua errada e ainda pegou trânsito.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Confissão que não se faz nem para o terapeuta

Eu tenho uma tara.
Posso passar horas fazendo isso.
Meu marido tem horror.
Até vira o rosto.
Eu assisto infomerciais na TV.
Meias vivarina, facas Ginsu, limpador de vapor, ferro que fala, produtos de limpeza que dissolvem o azulejo do banheiro, filtros de água, coisinhas inúteis para a cozinha, lápis que tira arranhão do carro, escadas que se transformam em mutantes...
Eu assisto, e gosto!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Anônimo=sucesso (update)

Já faz tempo que andam uns anônimos no blog, eu nem leio e apago o comentário.
Nunca me preocupei com isso, pq pra mim comentário escroto é inveja! Se é inveja o blog faz sucesso.
Hoje pela primeira vez autorizei dois comentários de anônimos, que no mínimo devem ser da mocinha sem criatividade que roubou vários textos meus.
Quem quiser ver olha no post de baixo.
Adouuuro.
Mas o que eu realmente gosto mais é que apesar de ela falar mal, que quem escreve blog é uma pessoa infeliz que está em busca do sucesso (Oi?), ela leu o meu blog inteiro, e cita vários posts de memória!
Gente, ela é uma fã enrustida! Nha, tadinha!
Oi flor, tá aqui sua audiência, seu ibope, seus aplausos!
Parabéns, vc fez meu dia mais feliz, com mais risadas!
Pode escrever o que quiser agora, pq esse blog não é uma democracia e eu não vou publicar! Haha!
PS: a palhaça mor tb copia o blog e, pasmém, o twitter da maravilhosa Elisa, que tem um dos blogs mais engraçados que eu já vi, Ela fala e sai andando. Bom, que quiser se comunicar com a "criatura que copia" manda um twitter pra ela @eternamentebia, pq no blog ela não autoriza comentário, pq será né?

terça-feira, 7 de julho de 2009

Cópia 2, a missão! (update)

Gente, tô muito passada!
Descobri mais uma palhaça me copiando e recebendo elogios por um texto meu, aquele que fiz sobre uma novela brasileira escrita por um estrangeiro.
E tem a palhaça mor que roubou incontáveis textos meus, até o da fada das cuecas, onde tem um trecho que digo que a fada se chama Cinthya Rachel, ela tirou o meu nome e pôs o dela!!!!!!
Caraca!
Faço o que?
Tem como impedir isso?
Help me!
Moooito revoltada!
Update: Agora o site está protegido! Veja aquela caixinha aí em cima do lado direito! Uma das meninas que copiou já se manifestou na caixa de comentários desse post e retirou o site do ar. Mas ela alega que pegou o texto de outro blog, que estava sem autoria e quem nem sabe se fui eu que escrevi. É mole? Mas pelo menos apagou o post.
Amiga, anônimo no blog é luxo! Sinônimo de sucesso! Leiam por favor o comentário, que no mínimo deve ser da pessoa que me copiou! E quer argumentar? Seja inteligente! Não frases aleatórias e sem sentido! Adouuuuro!

Cópiaaaaaaaa

E não é que roubam textos mesmo?

Ontem descobri 3 blogs diferentes com textos meus.

Sim! Textos completos, copiados na caruda, com o mesmo título do post.

Tem uma menina que não contente em roubar um, roubou váriosssssssssssss. Roubou um até que eu escrevia as minhas preferências. Ela roubou as minhas preferências como se fossem dela!!!

Deixei recado para as três fofas, mas até agora nada.

E não vou divulgar aqui o blog das lindinhas, pra que dar ibope?

Se quiser saber se o seu blog também foi copiado entra aqui: http://www.quemmeama.co.cc/

PS: amigas, meu computador está com problemas e não abre vários blogs! Como o da Elise, o da Andréa, o do Diego, da Cris, da Drica, então peço mil desculpas pela falta de visitas e de comentários! Não me abandonem, buáaaaaaaa...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Mil novecentos e guaraná com rolha

Quando eu era criança, adolescente, achava o máximo da antiguidade alguém dizer: No meu tempo não era assim/ no meu tempo é que era bom.
Porque na minha cabecinha a pessoa precisava viver uns 850 anos para poder dizer "no meu tempo."
Haha, ledo engano. Me transformei na tia que diz frases que se referem ao passado.
Percebi isso essa semana, pq definitivamente eu "sou do tempo que videoclipe estreava no Fantástico..."

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Sede

Descobri uma coisa muito bizarra sobre minha própria pessoa.

Uma sede quase que insaciável de conhecimentos aleatórios randômicos sem sentido.

Porque eu fico aflita de saber que existem 3576045 tipos de queijo na França, que são 475340 métodos de produção, 34702 só de queijos fedidos, e que mesmo que eu morasse em Paris, ainda assim, eu não seria capaz de provar todos eles.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Ice pergunta e a gente responde

Qual a primeira coisa que me vem na cabeça quando vejo essas palavras

Modelo: de carro

Bebida: marguerita

Banda: larga

Queijo: gorgonzola

Lugar: praia deserta

Sexo: feminino, hahahhaha

Esmalte:no pé, vermelhos e afins

Designer: faz bem pros olhos, coisas bonitas me agradam.

Sapatos: preciso me apaixonar pra comprar

Perfume: que crie uma aura de encantamento

Dieta: só se for de feijoada

Animal: lontra

Ser humano: é o que complica...

Ícone: Chico Buarque

Profissão: crítico gastronômico

Companhia Aérea: pode ser primeira classe?

Certeza: que tudo vai dar certo

Dúvida: quando que vai dar certo?

Sonho: dizer sim só ao que me agrada

Língua: francês

Filosofando

Não sei se me apego e me identifico, ou fujo correndo da tiazinha que filosofa com as mexericas no mercado.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Encoxadinha matinal na fila do banco

Assim ó, tem um negócio que se chama espaço íntimo. Como se houvesse uma linha imaginária ao redor das pessoas, algo como um metro de diâmetro. Por isso que a gente se sente tão incomodado dentro de um elevador cheio, as pessoas invadem seu espaço íntimo.
Estava eu bela e de cabelinho novo (cortei na sexta) na fila do banco (atividade maravilhosa para se fazer numa segunda de manhã).Eu era a última da fila, aí chegou um moço. Vi pelo reflexo do vidro dos caixas. Ele passou por trás de mim, voltou e se encaixou atrás.
Dei um passinho pra frente, e ele outro. Mais um passinho meu, e ele acompanhou. Olhei pra trás, não tava acreditando. Quando virei a cabeça pra frente ele falou, ou melhor grunhiu: algum problema?
Medo. Dei mais um passinho, quase atropelei a menina que tava na frente, e o cara foi juntoooooo.
Quando chegou a minha vez ele tava tão perto que parecia até que era meu acompanhante.
Paguei a conta e me mandei.
Medo, muito medo das pessoas.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

E se...

Quem acredita (e também quem não crê) em outras vidas além dessa aqui, às vezes tem um pézinho atrás.
Muita gente se questiona: ué, se eu tem outra vida mesmo, se existe destino, porque eu não lembro do que foi "programado" pra acontecer?
Eu sinceramente acho que se a gente soubesse de tudo que pode rolar, principalmente das tristezas e dores, a gente iria "amarelar". Quantas situações terríveis acontecem e que depois que passam a gente fala: nossa, como eu consegui passar por isso e superar?
Não saber ajuda a enfrentar sem medo.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Hot

Aí que a gente tem um aquecedor cheio dos treque treque. Quando dá qualquer falha aparece na tela dele. Hoje de manhã apareceu um tal de erro 5. Ligamos pra assistência, que ficou de mandar um técnico e disse pra eu ficar tranquila pq o bichinho tá na garantia.
Óteeemo.
Chega o técnico, um tiozinho super tiozinho. Abriu a tampa e constatou que era um simples mal contato. Só precisou apertar a pecinha. Lindo.
Aí ele muito do simpático diz: ah, vou limpar o filtrinho pra você. Tá bom, já que você tá dizendo. Era uma coisinha ridícula, que fica do lado de fora, só girar e passar na água. Nem tava sujo, e ainda fiquei segurando o baldinho pro tiozinho, pra ajudar, sabe como é.
Perguntei: então é só isso? quem bom, né?
E ele: isso, é só você assinar aqui e pagar.
Eu: Não é nada não, tá na garantia.
Ele: É mais a limpeza do filtro não tá.
Eu: (pensando que devia ser 10 centavos e ainda queria um desconto pq segurei o baldinho) Tá, quanto é?
Ele: 80 reais!
Eu: Que?
...
Mas peraí, lavar a pecinha custa 80 reais?
Falei na lata, eu não vou pagar.
O tio ficou mudo. Não vou pagar.
Ele: tá bom, vc ganhou uma revisão de graça, então.
Revisão o KCT, ele lavou uma pecinha do tamanho de um parafuso e eu ainda segurei o balde.
Mas não amarelei, respondi: Ganhei? Ai que bom, sabe pq? Pq eu mereço.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Quase festa

Aí minhas amigas queridas apareceram aqui em casa e trouxeram um bolo.
Teve parabéns e coro de : pega o morango com a boca, pega o morango com a boca!!!
Nada mais me lembro, se não lembro não fiz, certo?

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Hoje

So, today is the day.
B'day.
The last of 20's.
Saturn, keep coming.
And Rachel, keep walking.
Everything is going to be alright.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Plano B*

Você nasceu praquilo. É o que gosta de fazer. Desde de pequenininha já sonhava com essa profissão. Estudou, se formou, correu atrás e conseguiu. Se sente mega realizada, ganha um bom salário, ama o que faz. Aí um dia ocorre uma mudança que simplesmente te impede de trabalhar com o que vc tanto ama. O que faz?
Qual é seu plano B?

PS: vale ser alguma coisa relacionada com a profissão, por exemplo, se vc é professora pode dizer que daria aula particular.
*post inspirado na amiga blogueira Tina Lopes.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

RESPECT

Respeito todas as religiões, credos, crenças e deuses.
Só não acho que ninguém é obrigado a ficar escutando batuques, rezas, cultos, orações, hinos, missas.
Deus não é surdo.
Que moda é essa de colocar caixa de som pra fora das igrejas e afins?

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Pão com ovo

Não gosto quando uma coisa vira moda, me dá um certo nojinho e um enfado daquilo. Eu era fascinada pelo Cirque du Soleil, achava lindo, incrível, fantástico (ok, ok, ele continua sendo tudo isso), mas depois que o Fantástico começou a exibir TODO domingo me deu um certo cansaço.
Não, não sou fresca e culturete, que acha que só as as coisas inacessíveis é que são boas, mas tudo que é demais enjoa.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Hã?

Os homens tem uma característica que muito invejo: a surdez seletiva. Já falei disso aqui diversas vezes, mas esse assunto me encanta. Como, como meu pai do céu eles conseguem???
-Fulano, o almoço tá na mesa!
-Olha o almoço!
-Benhe, vem comerrrrr!
E isso segue por meia hora, e 37 tentativas, até que eles (homens em geral) resolvem levantar e ainda dizem:
-Nossa, não precisa repetir, ouvi na primeira!
Então pq vc não respondeu!!!!????
Mas o melhor é qdo vc está falando sobre um assunto qualquer que não interessa a ele, aí vc pode contar que ele vai te olhar, sorrir, menear a cabeça durante o monólogo, mas se vc perguntar alguma coisa como: o que vc acha? A resposta dele vai ser: Hã?
Mas pra ser sincera nem quando o assunto interessa a ele parece que eles estão prestando a menor atenção. Já testei diversas vezes, e não falha. Já mudei de assunto no meio da frase, já disse coisas desconexas, fiz ameaças, contei piadas e no fim perguntei: vc está me ouvindo? E a resposta: Hã?
Agora você pode testar essa mesma técnica de coisas desconexas e se disser no meio da frase qualquer coisa relativamente pornô, como peito, bunda, prexeca, pode ter certeza que você capta atenção dele: -Bunda de quem amor?
Invejaaaaa. Gostaria de ter esse botão da surdez seletiva...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Leve

Uma vez vi uma entrevista com um dos filhos da Elis Regina (falha minha, não lembro qual deles), em que ele respondia que a coisa mais importante que a mãe ensinou pra eles era ser leve. Levar a vida leve. E não sei pq essa frase me marcou muito. ("seja leve, meu filho")
Qdo a gente é mais novo acho que sem querer conseguimos incorporar isso. Apesar dos dramas e transformações da adolescência. Tá tudo bem, as coisas são mais fáceis, superamos os problemas mais rapidamente.
Qdo a gente vai ficando mais velho parece que vamos tomando o peso do mundo para segurarmos. A vida deixa de ser aquela brisa e se tranforma numa ventania.
Quero voltar a ser leve, e é esse meu pedido de aniversário.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

The last of 20's

E daí q faltam duas semanas para o último níver da casa dos 20. 29...

É passa rápido mesmo. Era verdade o que todo mundo falou. Depois dos 18 voa! Eu sempre acho que ainda tenho 23, sei lá pq, rs.

E todo ano eu acho que alguma coisa vai mudar e acontecer perto do níver. Esse ano eu não tô achando nada, vai ver que aí é que vai mudar.

Tantas coisas aconteceram nesse último ano, parece que vivi 10 anos em 12 meses. E tantas mudanças, e tantas loucuras, sou quase outra pessoa dentro de mim mesma.

É aquele papo de que Saturno retorna aos 28 e continua nesse balé até os 30.

Vamos ver o que esse ano me traz.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ruiva wannabe

Ontem me deu 5 minutos e resolvi pintar o cabelo. Cansei do meu loiro Beyoncé.
Na caixa estava escrito CHOCOLATE.
No cabelo ficou algo QUASE RUIVA.
Esperei o dia clarear pra ter certeza.
Hum...
Ainda não decidi.
Talvez esteja um CHOCOLATE DOURADO COM LAIVOS DE RUIVA.
Pq não pinto no salão?
E a emoção, gente? E a emoção?

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Caminho do Brasil

Às vezes fico imaginando como seria se algum autor de fora resolvesse escrever uma novela que se passasse no Brasil...
Sinopse:
Juan é um fazendeiro carioca que mora na praia de Copacabana, e tem uma criação de avestruz. Ele vende as penas dos bichos para todo o Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Floresta Amazônica) e faz muito sucesso, pois as penas são usadas nos trajes típicos do país.
Um dia ele e sua mulher Mercedes, ex passista da Mangueira, viajam levando um dos gêmeos, Pablo. O avião cai no meio do floresta Amazônica, apenas pequeno Pablo sobrevive e é criado por uma tribo de índios, que na verdade fica a poucos quilômetros da capital do país, Buenos Aires.
Sua irmã que não foi viajar, Joaquina Maria, por um acaso do destino não recebe sua herança e vai morar na Cidade de Deus, onde conhece o amor da sua vida Escobar, tem 5 filhos e macacos adestrados de estimação. Seu casamento foi lindo, com samba, purpurina e penas de avestruz. Para beber caipirinha e no buffet, feijoada. Mas tragédia pouca é bobagem e Joaquina morre picada por uma das milhares de cobras que andam pelas ruas, enquanto, de top less, tomava sol na praia.
Pablo fica rico vendendo colares na tribo, compra uma passagem e se muda para a capital Buenos Aires. Conhece uma mocinha simpática e se casa num terreiro de candomblé, com batuques e mulatas do Sangenteli.
Os índios revoltados com o sucesso de pequeno Pablo resolvem invadir Buenos Aires e levam onças adestradas para atacar nosso herói. Ele morre, mas ainda há esperança, seu filho Pablito é forte e honrará o nome do pai.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Das coisas que eu não entendo

Eu não entendo quem quer escalar o Everest, por exemplo.
Tá, vc vai dizer que a pessoa está em busca de superar os próprios medos, de provar que o ser humanozzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz....
Tô falando sério. Por que? Pela vista?
Pq assim, vc pode morrer tentando essa proeza. Só esse fato já me desestimula. Sem falar na escalada em si. Oi? Sobe, sobe, sobe. Máscara de oxigênio, cordas, fendas, neve, dedos necrosados, pés congelados, e nem tem uma cafeteria no meio do caminho.
E depois de dias, quando a pessoa finalmente chega lá, dá um grito -Uhu!, ou melhor, tenta dar né? A falta de oxigênio não deve ajudar muito nessa comemoração... Tira uma fotinho, faz meia volta e desce imediatamente. Sim, ela volta. Pq não tem simplesmente nada para fazer lá em cima...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

USA

Aí que meu marido me ligou ontem a noite (ele tá nos EUA, trabalhando), perguntou se eu queria alguma coisa de presente fora da lista que dei pra ele (bem modesta, tá? um batom, um rímel e olhe lá!), pq é tudo simplesmente muito barato, ele falou que eu ia enlouquecer lá.

Quão barato?

Duas calças CK U$50,00, relógio Guess U$50,00, perfume Armani Code uns U$ 20,00 (o de 100ml, tá?) e por aí vai. Ele está em Orlando e lá tem um MEGA Outlet, que chato.

Falei que não precisava trazer nada mas ele disse que vai trazer mesmo assim, pq é muuuuito barato.

Bom, já que ele tá nessa disposição acho que mudei de idéia e vou pedir uma bolsa e um óculos, assim não tem risco de errar o tamanho, rs.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Você é doida demais

Quem diz: estou ficando louca, na verdade não está ficando louca. Pq quem está enlouquecendo não tem consciência da loucura. Da sua loucura. Se eu acho que estou louca então eu não estou, pq se eu estivesse realmente louca não teria essa noção. Logo se eu tenho certeza absoluta que estou enlouquecendo quer dizer que não estou louca, certo? Então tá então.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Tô aqui, ei, olha pra mim!

Não sumi não, oh! Tô aqui! É que eu não andava very happy semana passada, então me recolhi em posição fetal embaixo do edredon (mentchira, tá?) e já passou. E como gente não happy fica com a imunidade baixa, adivinha? Gripinha ninja. Mas o melhor foi a dor que deu. Na nuca, costas, ombro, nariz, dente, cabeça, acho que eu tava mais pra um massagista que para um antigripal.

E Xente, perdi a contagem regressiva para meu último níver dos vinte anos. Era pra começar ontem, mas vai lá: faltam 29 dias!

E nunca canso de me dizer que nesse exato momento tem uma menina aqui em casa me ajudando na faxinaaaaaaaa. Isso me deixa very happy, tão happy qto uma caipirinha de saquê, mas sem dúvida com menos sono, rs.

Tem post meu com vídeo (tsá?) lá nas Twins.

E vcs sabiam que agora eu tenho um canal lá no you tube?

Por hj é só pessoal!

beijos

quinta-feira, 14 de maio de 2009

$$$ e a invasão das malhas

Gente, o que acontece?
Tá todo mundo milionário? Pq essa é a impressão que eu tenho vendo o preço das coisas no shopping.
Não pode um casaco custar quase R$200,00 na Renner, na Renner amiga!
E a arara de promoção estar na bagatela de R$59,90!
Hello!!! 60 reais um blusinha num magazine?
E o que dizer dos tecidos?
O rei das Malhas ameaçou todos os comerciantes do mundo? Pq só tem malha gente! Blusa simples, chique, esporte, não importa, é malha.
Fui procurar um vestido para ir em um casamento e a vendedora me apareceu com um lindo, maravilhoso, longo e de malha! Ah, não dá. Me recuso. Malha vc lava uma vez e ela já fica meio tristinha. Fora que marca toda e qualquer curvinha fora do lugar do seu corpinho. Sou do tempo que malha a gente usava só pra fazer ginástica. Confesso que é confortável, mas essa falta de opção é que é ruim.
É complô?

terça-feira, 12 de maio de 2009

Makeup

Sabe gente, eu sou uma mulher de fases.
Tem a fase do tricô (compro quilômetros de fios, agulhas incríveis e tricoto por horas).
Tem a da culinária (procuro receitas, compro ingredientes diferentes, pesquiso temperos).
A dos livros (horas navegando no submarino, vendo as promoções e adquirindo).
A da fotografia, dos blogs, dos esmaltes, dos cremes...
Atualmente estou na fase da maquiagem.
Loucamente me informando e consumindo o que tem a ver com o tema. Confesso que escrever agora pro Trendy Twins ajudou um pouco, fiz até um vídeo.
Oh que engraçado!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Datas festivas

Correndo o risco de ser banida por blogueiros queridos quero fazer uma confissão.

Não gosto de datas comemorativas. Dia das mães, dia dos pais, Natal, dia dos namorados...

Gosto da reunião, do almocinho, da ceia.

Não gosto da obrigatoriedade.

Do "ter" que comparecer.

Parece que vc só foi pq era obrigado.

E não pq queria.

E contrariando tudo isso que eu disse, eu tb confesso que choro na propaganda do Boticário para o dia das mães. Aquela em que o peixinho morre e vai para o céu dos bichinhos aquáticos. Viu, eu tenho um coração.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Nojinho

Quem lê o blog sabe que eu sou bem pouco fresca, chupo do seu canudo e como da sua comida com o seu garfo (guardada as devidas proporções, hahahhahah).
Mas não gosto não de colocar a mão naquela esteira do supermercado, como já falei aqui. Porém, contudo, todavia, descobri mais alguns lugares nojentinhos que a gente tem que colocar a mão no dia-a-dia (Super TOC, ativar!).

-botão do elevador: hum... Como faz? Você precisa apertar. Ou é isso ou é subir de escada. Que andar vc mora?
-descarga da privada de banheiro público: ai, ai, ai. A pessoa acabou de utilizar o vaso, logo a mãozinha está cheia de bichinhos. Ok, pegue o papel e utilize como uma barreira. Tente não encostar em nada.
-porta do cercadinho do banheiro: idem ao item acima. Tente abrir com o pé. Ou faça como eu, tente imaginar onde ninguém colocou a mão e boa sorte.
-botão para o semáforo abrir: nhaaaaaaaaaa. Tem um perto de casa, eu sempre ando a pé, e preciso atravessar nesse farol (sinal, semáforo, sinaleira). O que me dá um certo receio é que esse botão em específico, desse semáforo em específico, parece estranhamente limpo, muito limpo. Quem limpa? Alguém limpa? Ou é auto limpável pela quantidade de mãos que passam por ali diariamente? O que vc faz? Aperta ou reza para o farol abrir? Faça com eu, utilize o nó do dedo para apertar (hahaha, que louca), eu sei, não tem nenhum motivo científico para tal, mas acho que a área tocada na região do nó, é menor do que a ponta do dedo. Louca? Eu? Imagina...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Interatividade

Bacana vc estar em casa vendo TV e poder fazer uma pergunta para o programa em questão por e-mail. Legal esse negócio de interatividade, mas o povo tá perdendo a mão. Me arrepia até o último fio de cabelo quando no pgr domingal noturno ouço o apresentador dizer:

- E vc aí de casa também pode participar, faça um vídeo agora no intervalo e mande para cá com a sua opinião!

Nãooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Gene da vergonha alheia acionado!
Pq vc precisa no mínimo ser gênio para fazer um vídeo incrível no espaço do intervalo comercial.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ansiedade, teu nome é Cinthya

Na páscoa minha prof de yoga ficou sabendo que eu não comia chocolate, ela ficou muito espantada e perguntou: Mas o que vc come qdo fica ansiosa? Nada, eu não como, perco a fome.
Mas resolvi ampliar a pergunta, o que eu faço qdo fico ansiosa?
Qdo eu era criança me lembro muito bem de chorar desesperada um dia antes das minhas provas, eu dizia que não sabia nada e que ia tirar zero. Voltava pra casa no outro dia rindo e com um 10.
Essa ansiedade mata. Fico assim um dia antes de gravar algo importante, de um evento, de uma reunião, com um telefonema, esperando uma resposta. Não é algo paralisante ou capaz de quebrar um dente (né, Tina?), mas mesmo assim é muito ruim. E o pior, descobri recentemente que não tem NADA que faça passar.
Uso um truquezinho qdo estou muuuuito ansiosa, eu fico pensando: Calma sua boba, amanhã a essa hora já vai estar tudo resolvido. Não passa, mas melhora. Acho que o ideal mesmo seria chorar como eu fazia quando tinha 8 anos, mas 20 anos depois acho que não cairia muito bem...

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Se correr o bicho pega, se ficar...

Tem uma dúvida que sempre assolou a minha curta existência. Quando é pra correr atrás e quando é pra deixar as coisas acontecerem naturalmente?

Tem coisas que a gente persegue a vida inteira e não acontecem. Tem outras que acontecem sem a gente precisar sair do sofá.

Confesso que tenho uma certa tendência para a preguiça, -meu pecado capital favorito, seguido muito de perto pela gula- mas luto contra isso e vou em busca do que quero. Mas parece que quanto mais eu corro mais longe o objetivo fica, como naqueles pesadelos que a gente corre, corre e não sai do lugar.

Agora outras vezes tô lá moscando e o telefone toca e recebo um convite incrível.

Dear God, gostaria muito que as coisas viessem com uma plaquinha anexada dizendo o que devo fazer naquele caso, mais ou menos assim: Run, Rachel Run ou Wait, Rachel, just wait...

terça-feira, 28 de abril de 2009

O que é pior?

Um tempo atrás fiz uma "pesquisa científica" aqui no blog querendo saber o que era pior: chulé, bafão ou cecê? Já nem lembro o que ganhou, sou uma relapsa, eu sei, mas digo que o pior pra mim é cecê, e explico.
Gente, bafão é terrível, desagradável e o pior é que quem foi abençoado com o hálito venenoso tem o maravilhoso costume de falar perto, bem perto de você. Mas você só vai sentir se o fulano abrir a boca.
Chulé. Aca, aca. Se você não estiver usando keds (sim, fui adolescente nos anos 90), nada justifica. Poxa, o talco granado está aí para essas coisas. Assim como o famoso tênis pé baruel, que eu achava o máximo e usava mesmo sem ter chulé, rs. Mas mais uma vez você só vai sentir se o chulezento em questão tirar o sapato perto de você. Se ele fizer isso é pq é íntimo e se é íntimo vc pode xingar e jogar o calçado maldito pela janela. Seguido do pé, em caso de força maior.
Agora cecê é punk. Pq ele está ali, exposto, aberto, flutuando no ar pronto pro seu narizinho delicado absorver. A pessoa não precisa abrir a boca ou despir o pé. O cecê É e pronto. Poxa vida, entendo quem trabalha o dia inteiro debaixo do sol, quem já não teve o desodorante vencido um dia? Mas minha nossa senhora do aerosol! Uma coisa é um suvaquinho fedidinho e discreto, outra é aquela neblina que polui o ambiente, que faz suas entranhas se revoltarem, a boca começar a salivar, o enjoo se formar, sua vista turvar.
Mas agora a pesquisa ibope vai mais fundo:
O que é pior: cecê ou perfume ruim?
Hoje meu nariz foi atingido por algo pior que o azedo xexelento do suor feliz. Passei por um ser que exalava uma mistura de cheiro daquela tia avó que baba quando te beija enquanto aperta sua bochecha, com talco vencido, e perfume antigo da Avon, saca?
Porque uma coisa é o deso não dar conta do fudum, outra é você querer cheirar mal por opção.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Bloguinho chique na Folha de SP

Gente, gente. Ontem saiu uma matéria na Revista Serafina da Folha de SP sobre o Castelo Rá-tim-bum. Lá a jornalista disse que hoje escrevo esse bloguinho aqui e que ele é ótimo. Não sei se ele é ótimo, mas que eu me divirto muito escrevendo aqui, isso é verdade. Sério, fiquei muito feliz. Normalmente eu não ligo para essas coisas, mas ser elogiada em um escrito me deixou satisfeita.
Amo escrever, e resolvi mostrar pra vcs fotinho dos meus diários. O primeiro comecei com 14 anos (1994), é esse de cima. Muito engraçado reler esse, como a gente é boba com essa idade, né?
O segundo é o amarelinho, 14, 15 anos, tem uma cartinha de amor saindo pela lateral, rs.
O terceiro na foto na verdade é o atual, esse é punk, confesso. É o mais cru e real. Comecei em 2006, não escrevo todo dia.
O quarto é o meu presente de níver adiantado, vi essa semana e me apaixonei, tem ele no detalhe. Mas só vou começar a escrever depois do aniversário.
O quarto diário foi presente da minha irmã. Esse comecei em 96, com 16 anos. Tem muita coisa sobre trabalho, escola.
O último é da época do primeiro namorado, 1998 até 2000 e pouco, não lembro bem. Esse tem milhares de folhas soltas, escritas fora de casa. Revelações, drama mas muitas alegrias.
E claro esse blog! Mas esse é aberto e divido com vcs!
Um beijo

Aleluiaaaaaaaaaa

Hahahahah, tô com faxineira em casaaaaaaaaaaaa.
Nesse momentoooooooo.
Limpando os vidrossssssss.
É a fada da faxina, e dessa vez ela não parece comigo.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Dia de ginecologista...

É quase um encontro. Você se depila, escolhe a melhor calcinha, aquela blusa fácil de tirar, sai de casa cedo para não se atrasar. Só que não tem papinho mole. É direto aos finalmentes. É aquilo na mão e a mão naquilo sem preliminar, sem vinho e sem jantar. Hoje fui numa ginecologista nova. Porque meu ginecologista antigo nunca me viu nua. Na verdade eu adorava, ia lá, não precisava tirar a roupa, ele era um fofo, mas digamos que um médico "das partes" nunca ter visto sua prexeca não é um bom sinal.
Bom, quando cheguei na recepção tinha um quadro enorme da Bolívia. Ok. Não tenho nada, absolutamente nada contra médicos bolivianos, mas não ia facilitar minha vida em nada ouvir a fulana falar: Abra la RoRota por favor!
Enfim, fui chamada, a médica falou oi e devolveu a carteirinha do convênio com cara de poucos amigos. Ai minha Santa das Xoxotas em fogo, ajudai-me! Ela começou a fazer perguntas, a primeira impressão foi se desfazendo até que ela falou: Eu te conheço de algum lugar! Aha! Pronto, comecei a responder um questionário sobre o castelo ratimbum, seus personagens, como eram as gravações, e na prexeca nada.
Aí chegou a hora tão esperada: -Vamos pra outra sala fazer um exame? (E eu lá tinha opção?)
Tira a roupinha, coloca aquele avental ridículo, deita, olha para os quadros, faz cara de paisagem, analisa a pintura do teto, finge que está tranquila, até que vem duas batidinhas na perna e a frase: Relaxa.
Hahahahah. Claro, agora sim. Tudo que eu preciso pra relaxar é de duas batidinhas na perna. Enfim. Rolou aquele momento íntimo e sou obrigada a confessar que a mulher tinha mãozinhas de fada, não senti nada, pontinhos para a moça.
Bom, mas eu queria saber se tava tudo certo, ela pediu 6595309 exames legais e super divertidos, e me acalmou dizendo que tudo pode ser causado por stress.
Gente, esse mundo anda tão louco que até as Pepecas ficam nervosas. Maracujina nelas!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Lá vem a noiva

Adoro casamento. Dos outros. Acho lindo, choro, me emociono. Acho tão legal que já organizei o da minha irmã, dei um pequeno help pra cunhada, e tô dando uma força para uma amiga.
O meu? Não tem meu. Claro que já quis casar, quando eu tinha uns 17 anos. Já tinha até pensado no vestido. Mas o tempo passa, você muda. Hoje acho um desperdício de dinheiro. Desculpa para quem vai casar, pode me chamar, vou curtir, mas EU não quero casar. Eu penso o que faria com o dinheiro: uma viagem, uma entrada num ap, carro novo, roupas novas, muitos livros, uma batedeira, sei lá.
Eu sou assim. Eu respeito quem tem esse sonho. Não entendo muito bem, mas respeito. É que eu acho que casamento é uma coisa tão íntima que só o noivo e a noiva deveriam comparecer. Sonho é sonho e temos que respeitar. Agora, se eu te respeito, pq vc não me entende?
Passei o fim de semana tentando convencer um bando de mulheres que eu não quero casar. E contra TODOS meus argumentos a única resposta delas era: impossível, CLARO que vc quer casar. Ué, não pq alguém quer escalar o Everest que eu também quero.
E quem disse que assinar papel é garantia de alguma coisa? Isso é ilusão de moça virgem. Respeito, carinho e amor não se garante em contrato.
Já me vesti de noiva para uma gravação e foi o maior barato, me achei linda e tudo, véu, luva, sapato. Adorei. Mas se me colocarem assim na porta de uma Igreja é capaz de eu não entrar. Noiva em Fuga, saca?
Acho lindo o vestido, as flores, a festa, participo (não vou tentar pegar o buquet, aí já é ir longe demais, rs), ajudo a organizar, compro presente. Mas não quero ser A noiva, entende?

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Atualizando

-Então, fui lá, fiz as fotos e ASAP eu coloco aqui pra vcs. Deu tudo certinho, fiz um olhão bem "féchionnnnn" para não me acharem com carinha de 18 anos. Não que eu não goste, mas é que pra minha vida profissional isso é uma M.
-Tenho uma amiga muito chique que amoooooooo, se não gostasse de homem ela seria minha namorada (rsrs, piada interna), que vai pra Nova York nesse feriado. Oi? A gente indo pra Long Beach (praia litoral sul de SP) e ela fina em NY. Qdo crescer quero ser igual a ela.
-Vou passar o feriado dando uma ripa aqui em casa. Montando móvel, pintando parede, tirando medida.
-Faltam 2 meses pro meu aniversário. Posso fazer uma lista imaginária??? Posso tia? Deixa?
-Se Deus quiser e o dinheiro der (hihi) também pretendo ser muito fina no fim do ano. Me aguardem, pq sonhar ainda não paga imposto!
-Um óteeeemo feriado!

Sessão de fotos em 5, 4, 3...

Dei uma entrevista para a revista Serafina da Folha de SP, e a repórter acabou de ligar pedindo pra eu fotografar HOJE no meio da tarde. Check list:
-Pele: tirando a espinha no meio da testa OK
-Sobrancelha: OK
-Cabelo: OK
-Depilação: Sem comentários
-Unha: semi OK, mas nem vai aparecer
-Figurino: ai que medooooo, ainda não sei
-Maquiagem: também não penseiiiiiii
Tô correndo que nem doida, depois volto pra contar como foi.
Beijo

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Brindes Revista Woman e mais bobagens

-Ontem fui ao shopping comprar um sapato preto, pq eu descobri que não tenho sapato preto. Tenho amarelo, pink, azul, mas não preto. Queria uma coisinha básica, uma sapatilha, um peep toe baixo. Voltei de mãos vazias, se não era feio, era caro, e se era bonitinho era caríssimo.

-Massssss, passando na livraria Cultura do Shopping Bourbon Pompéia achei a revista Woman com os pincéis de brinde. Não é nada maravilhoso, mas quebra um ganho, a necessarie é bem simpática, já está na bolsa, e junto vem uma amostra de perfume, bem gostosinho. Corre que ainda tinham umas 7.

-Também comprei a Cláudia que vinha com creme da Natura de brinde, muito cute. Creminho bom, cheiroso, pena que vem pouquinho, rs.

-Tinha outra revista nacional (não lembro) que o brinde era um esmalte de 1,99 de cor duvidosa. Não comprei, mas pelo menos quer dizer que as revistas estão começando a perceber nossa paixão por coisinhas de graça, rs.

-Ah, como estão todas loucas atrás de um esmalte cinza bacana e não existe nenhum bonitão no mercado, também acabei inventando a minha misturinha. Fiz um cinza chumbo com um fundo arroxeado. Depois eu mostro e dou a receita.

Blog Widget by LinkWithin