segunda-feira, 6 de julho de 2009

Mil novecentos e guaraná com rolha

Quando eu era criança, adolescente, achava o máximo da antiguidade alguém dizer: No meu tempo não era assim/ no meu tempo é que era bom.
Porque na minha cabecinha a pessoa precisava viver uns 850 anos para poder dizer "no meu tempo."
Haha, ledo engano. Me transformei na tia que diz frases que se referem ao passado.
Percebi isso essa semana, pq definitivamente eu "sou do tempo que videoclipe estreava no Fantástico..."
Blog Widget by LinkWithin