sexta-feira, 18 de abril de 2008

Selinhos e mais aniversário num longo post que quase ninguém vai ter paciência de ler até o fim

Gente! Ganhei muitos selinhos fofos! Obrigada à todas as meninas que me fizeram essa gentileza, eu não mereço, mas o meu amigo blog resolveu não me deixar postar imagens, não é super? Então não é descaso que não tô colocando os selinhos, é pura má vontade do blog, tsá?

Bom, qto ao níver amei todas as sugestões e estão anotadas, e obrigada por não me acharem louca por estar pensando nisso com 2 meses de antecedência.
Faz tempo que não faço festa, 7 anos precisamente (tirando o churrasco com 5 pessoas no ano que mudei para Curitiba (2006) que insistiram para que eu fizesse mesmo eu não querendo). Ano passado falei que não queria fazer nada, estava sendo sincera, e realmente não fiz nada, foi ótimo, só fiz um prato de brigadeiro que comi metade e minha mini prima comeu o resto. Mas pq tanto tempo sem fazer festa? Eu tenho um histórico complexo nesse setor. Vejamos:

No ano que entrei na escola eu comecei a fazer a propaganda do Tang, logo eu era popular e todo mundo que eu convidava ia no meu aniversário, fora as pessoas que papis e mamis conheciam, convidavam e compareciam. Assim foi até uns 10, 11 anos. Depois disso minhas festas ficaram bombadas, eu convidava 20 e apareciam 200, e não é força de expressão, literalmente apareciam pessoas do nada, e isso que eu fazia no salão de festas do ap. Até que eu fiz 14 e digamos que a lotação estourou, meus cálegas de escola colocaram a boca debaixo da choppeira e tomavam direito da torneirinha, pessoas traziam mais 10 amigos a tiracolo, uma beleza. Nesse dia minha mãe falou que nunca mais ia me dar festa, providencial visto que no outro ano eu ia fazer 15 anos, hahahaha, e realmente não ganhei e nem me dei mais festa NENHUMA.

Aí eu estava na facul e ia fazer 21 anos, meus amigos todos falaram: vc não vai dar festa? como assim, vc tá fazendo 21, tem que fazer, tititieieieitititititetetete, vamos todos nós, faz sim, essa data não pode passar em branco. Ok, me convenceram. Elaborei um tema (Apagão em Jagatá, lembra da novela da Sandy, super zen?), tudo à luz de muitas velas, todos tinham que entrar descalços, cobri o chão com tecidos, muitas almofadas, fiz convite, e comprei queijos e vinhos (que vamos e venhamos não é o tipo de festa mais barata que existe), morangos e uvas, toda uma produção, até briguei com a minha irmã que convidou umas amigas, achei que fosse ficar muito cheio. Agora adivinha quem foi da facul? Ninguém. Isso mesmo, ninguém. Foram uns amigos do trabalho, as amigas da minha irmã, um amigo quase irmão, meu namoradinho da época e a vizinha da frente que emprestou as almofadas.
No dia seguinte o povo na facul: e aí como foi, não pude ir tal. Aí começou o buxixo, vc foi? eu não, ela tb não, nossa, não foi ninguém... E todos me olharam com aquela cara de dó. Fiquei fazendo pastel de gorgonzola por um mês.
Então, motivo suficiente para não fazer festa por 7 anos? Acho que sim. Mas essa eu quero fazer sim. Mas lá no fundinho eu tenho medo que quase ninguém vá.
Blog Widget by LinkWithin