segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Ci Rachel, 27, cansada e abduzida

Tudo o que não aconteceu na minha vida em um ano e meio está acontecendo no período de um mês. Tudo ao mesmo tempo agora, mas tá tudo ótimo, só novidades boas, que em breve conto pra vcs. Mas com essa correria hoje precisei pegar um táxi no aeroporto, coisa que "aca", adouro. Eu fico tãoooooooo feliz de pegar táxi que vcs não fazem idéia (sorriso nervoso amarelo). Primeiro que NENHUM taxista queria me levar, e já eram 8 da noite, o dia inteiro sem comer nada, com o saco na lua. Sei lá, vai ver eles acharam que eu tinha cara de corruptora de menores, ou de fedidinha, ou de menininha de creche. Só o tiozinho que alicia os taxistas que se ofereceu pra me levar em casa na carro particular dele mediante um pagamento de 20 reais. Tá boa santa? Sou louca? Enfim, consegui uma boa alma tarada pra me levar num táxi super equipado, som bacana, dois gps, ar condicionado, tetete mariazinha. Aí começa o diálogo:
- Você mora nesse endereço?
- Não, é o ap. da minha irmã, eu tô de mudança.
- Qual é o seu nome?
- Cinthya.
- O meu é X.
- Hum. Nossa tô com uma fome, não consegui comer nada hoje. (cala a boca C.R. , não puxa papo)
- Mas você não pode ficar sem comer, você não é como eu, que tenho o que queimar (mão erótica rodeando a barriga), mas você... (baba no canto da boca)
- Quantos anos vc tem?
- 27.
- Você é casada?
- Sim.(tome trouxa, ninguém mandou abrir a boca, O Deus do táxi castiga)
- Há qto tempo?
- Quase sete anos.
- Nossa, vc casou tão nova, não quis curtir um pouquinho antes não?
- Não (nem quero agora moço. São Miguel, São Miguel, Pai Nosso que estais no céu...)
- Qtos anos tem seu marido?
- 36.
- Nooooossssssaaaaaa! Mas ele é muuuuuuito velho pra vc. Eu tenho 29.
- Não ele é beeeeeeeeeeeeem novo, aliás, parece mais novo do que eu. (santificado seja o vosso nome...)
- Você gosta de música black?
- Gosto.
- Então sente a potência do sonzinho que coloquei aqui no carro.(homens não crescem, sempre com seus brinquedinhos)
Sobe som, mas sobe mesmo, tipo trio elétrico.
É difícil rezar com a música alta.
- Então, onde exatamente é o lugar?
- Olha, pode parar aqui mesmo, nem precisa entrar na rua, viu. Toma, fica com o troco.
Aguardo ansiosa a próxima vez que entrarei num táxi...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Cara de palhaço

Hoje foi dia mulherzinha. Na frente da casa da minha irmã tem um salão bem pequeno mas que ela disse que era bom, aí fui lá fazer a unha e depilação. Descobri que fazendo pé e mão ganhava uma hidratação no cabelo. Fiz o pé, que ficou bom, e a mão que não gostei, tanto que cheguei em casa e lixei tudo de novo (eu tenho problemas, eu sei). Aí fui hidratar e devia ter parado por aí quando descobri que quem ia fazer o serviço era a manicure, mas sou uma menina corajosa, e tava gostosinho, temperatura da água perfeita, massagem, touquinha ridícula e fui depilar meia perna.
Deitei na maca, a moça passou 3 quilos de cera, até aí tudo bem, cada um tem seu método, nem tava doendo, aí perguntei se ela depilava o buço, vulgo bigodinho, pq eu nunca tinha feito e tinha medo que ficasse vermelho já que amanhã eu tenho um compromisso (meu novo trabalho aliás, TV Bandeirantes, todo domingo as 18:00, lá com seu Raul, esqueci de falar pra vcs), e antes que eu percebesse ela tacou cera no meu bigode. Pípou! Aquela coisa quente fez lágrimas sairem pulando dos meus olhos.
Tá, eu sou fresca.
Enquanto ela deixava a cera esfriar no rosto, puxou a da perna, detalhe: eu estava com um machucadinho no joelho e achei que a mulher tivesse desviado, mas que nada. Quando ela puxou veio pêlo, pele, casquinha do dodói e o arrependimento imediato da cera já dura na cara. Joelho latejando, machucadinho aberto, não deu tempo de chorar, ela puxou a cera do rosto, tacou a segunda camada que escorreu nos lábios (muito medo de arrancar a pele da boca!!!), puxou de novo e falou: tá ótimo! Eu: mas não ficou vermelho? Ela: Que nada, não dá nem pra perceber. E aquilo pulsando, coçando, doendo, pinicando. Bom, eu pensei, pelo menos nem vai dar pra ver. Aha, pegadinha do Mallandro! Assim que abri a porta a cabelereira/ manicura gritou! Ahhhh! Aproveitou e fez o buço, hein?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Ciranda cirandinha ou variações sobre o mesmo tema

O mundo dá voltas.
Um dia você sobe, no outro desce.
Não cospe pro alto que cai na testa.
Aqui se faz, aqui se paga.
Cuidado jacaré, pq um dia a lagoa há de secar.
Tudo muda o tempo todo no mundo.
As coisas vem e vão.
Vão os anéis, ficam os dedos.
O mundo gira, a Lusitana roda.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Verdades imutáveis da vida número 37

Todo aquele que abrir sua casa para receber pequenos convidados numa festa de criança, vai para o céu sem escala.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Intuição

Sabe aquele lance de intuição feminina e tals? Então, a minha costuma ser bem boa, quase não falha. Mas tem um probleminha. É que às vezes eu bato o olho em alguém e já era, já defini o que a pessoa é. Geralmente eu acerto, mas isso é ruim, pq nem convivi com a pessoa e minhas entranhas, cérebro e coração já gritam: ih, essa aí, não sei não, e a pessoa super tentando ser simpática. Essa enrolação, quer dizer, introdução toda é pra dizer que tem uma pessoa que eu sou obrigada a conviver e que não me desce. Não adianta. A menina não me fez NADA (diretamente), mas eu sinto que tem alguma coisa ali. E o que me irrita mais é que ela possui um dos defeitos que mais me dão nos nervos: a sonseira. Ela é sonsa. Nos dois sentidos. Sonsa de ser meio burrinha, apesar de ter feito faculdade, pós, etc, não consegue acompanhar uma conversa, não entende filme, piada. E sonsa de se fazer de sonsa. De boazinha. De fingir que a conta não chegou na mesa e deixar os outros (os sonsos de verdade) pagarem. E quem convive com ela NÃO enxerga! É que ela se faz de tão meiga que todo mundo cai. Todos acham que ela é brilhante e muito generosa. Às vezes preciso pedir pra minha intuição falar mais baixo.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

É ilegal, é imoral ou engorda


Eu vivo para dias como o de ontem: adoçante pode engordar mais que o açúcar. Ah, as maravilhosas descobertas da Ciência que são refutadas meses depois. Foi assim com o café, com o ovo, com o leite, vinho. Tudo isso fazia mal, mas um tempo depois resolveram que em certas quantidades fazia bem. Agora só estou no aguardo de que descubram que os agrotóxicos fazem bem, que a gordura da picanha melhora o coração e que alface dá celulite.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Voltei!


Oie! Graças a Deus o ano começa de verdade no Brasil! Sumi um pouco porque estou com a cabeça cheia de coisas para uma sessão de fotos que preciso fazer para o meu site que ainda não existe. A princípio parece simples, mas são várias as coisinhas com as quais a gente tem que se preocupar. Outro dia comentei aqui que foto só encolhendo a barriga e que esse é um dos truques da profissão, aí me pediram pra falar um pouco mais dessas dicas. Bom, a gente precisa começar a se preocupar um mês antes no mínimo, cuidar da alimentação, pele, cabelo, figurinho, maquiagem, mas tem coisinhas básicas que vc pode fazer em casa se quiser dar um upgrade nas suas fotenhas.

Pele:

-Esfoliação 2 dias antes no rosto e no corpo.

-Já ouviu falar em banho de lua? É o clareamento dos pêlos do corpo todo (do pescoço até a canela), vc pode fazer em casa, tem kits a venda nas farmácias (R$8,50 em média) , deixa a pele com cara saudável e um ar garota de praia, faça uma semana antes.

-Óleo Johnson é "O" truque das estrelas. Espalhe no corpo todo na hora das fotos. Fica lindo, sua pele brilha, funciona tanto em luz de estúdio quanto na luz natural. Se vc tiver um hidratante com brilho dourado fica mais bonito ainda.

-Se tiver pó bronzeador (eu não tenho) espalhe nas bochechas, nariz, colo, testa, com um pincel muito fofo, se você não tiver pegue um pouco de sombra dourada, misture com o seu pó normal e faça a mesma coisa. Em fotos profissionais costumam espalhar tb nos ombros.

-Iluminador é um pó um pouco mais claro, com um certo brilho, que realça a ossatura do rosto. Aplique um pouco abaixo dos olhos no osso da maçã do rosto e na ponte do nariz. Fica lindo com a luz de estúdio.


Figurino:

-Leve em consideração o cenário, cor de fundo, para não ir com uma roupa no mesmo tom e você sumir. Não que não dê pra tirar uma foto num fundo branco com uma camiseta branca, mas o fotógrafo vai ter que ser fera na luz.

-Cuidado com sutiã, alças, fiozinhos soltos, que gritam na hora que você revela a foto.

-Só use roupas que sirvam perfeitamente em você, pq ver aquela gordurinha saltando das costas pq o vestido estava apertado vai fazer você se arrepender, ainda mais se você investiu e está tirando fotos profissionais.


Poses:

-Cuidado, muito cuidado. Você pode ter bom gosto mas o fotógrafo não, então pegue algumas fotos que você gosta, com o clima que vc quer dar e mostre para ele.

-Se você for apoiar o braço, a mão no rosto, a perna na cadeira, faça com delicadeza, para não marcar e ressaltar gordurinhas, rugas e etc.
-Sempre encolha a barriga, a não ser que você seja PERFEITA, e preste atenção ao virar o corpo para não ressaltar os provolones.

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Enredo

Eu realmente acho que deve ter alguém especializado em criar o nome dos enredos das escolas de samba. Eu já disse aqui no blog que meu sonho era escrever rótulo de vinho, pq é tão poético, né? Mas nada mais inventivo como os enredos, pq nunca é algo simples como "O Descobrimento do Brasil", é mais como "O dia que Pedro Álvares Cabral aportou em terra brasilis e lindas índias cravo, canela e virgens, com seus cabelos cor de asa de graúna, o receberam com festa, poesia e confete, num lindo dia de sol caribenho, assim seja, amém!"

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Dante


E aí chega o carnaval. Prevejo muitas mulheres semi nuas, bêbadas, em cima das mesas dos bailes, sendo entrevistadas por repórteres- que se questionam muito nessa época do ano o pq de eles não terem feito faculdade de medicina- que perguntam:

- O que você faz?

- Eu sou modelo e atriz! E tenho muitos projetos para esse ano!


Também me vejo olhando a bunda no espelho comparando a bundinha possível e "mobile" com aquelas bundas impossíveis e imóveis das mulatas.


E carro alegórico quebrando, pessoas chorando, desfile atrasando e o discurso de que dá o sangue pela escola.


Jornalistas muito tristes, com uma imensa vontade de tomar umas e outras, ainda se questionado o pq de não terem feito faculdade de medicina, e pensando: o que que eu posso perguntar para um ator bêbado nesse camarote da cerveja X a essa hora da noite?
Blog Widget by LinkWithin