quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ruiva wannabe

Ontem me deu 5 minutos e resolvi pintar o cabelo. Cansei do meu loiro Beyoncé.
Na caixa estava escrito CHOCOLATE.
No cabelo ficou algo QUASE RUIVA.
Esperei o dia clarear pra ter certeza.
Hum...
Ainda não decidi.
Talvez esteja um CHOCOLATE DOURADO COM LAIVOS DE RUIVA.
Pq não pinto no salão?
E a emoção, gente? E a emoção?

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Caminho do Brasil

Às vezes fico imaginando como seria se algum autor de fora resolvesse escrever uma novela que se passasse no Brasil...
Sinopse:
Juan é um fazendeiro carioca que mora na praia de Copacabana, e tem uma criação de avestruz. Ele vende as penas dos bichos para todo o Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Floresta Amazônica) e faz muito sucesso, pois as penas são usadas nos trajes típicos do país.
Um dia ele e sua mulher Mercedes, ex passista da Mangueira, viajam levando um dos gêmeos, Pablo. O avião cai no meio do floresta Amazônica, apenas pequeno Pablo sobrevive e é criado por uma tribo de índios, que na verdade fica a poucos quilômetros da capital do país, Buenos Aires.
Sua irmã que não foi viajar, Joaquina Maria, por um acaso do destino não recebe sua herança e vai morar na Cidade de Deus, onde conhece o amor da sua vida Escobar, tem 5 filhos e macacos adestrados de estimação. Seu casamento foi lindo, com samba, purpurina e penas de avestruz. Para beber caipirinha e no buffet, feijoada. Mas tragédia pouca é bobagem e Joaquina morre picada por uma das milhares de cobras que andam pelas ruas, enquanto, de top less, tomava sol na praia.
Pablo fica rico vendendo colares na tribo, compra uma passagem e se muda para a capital Buenos Aires. Conhece uma mocinha simpática e se casa num terreiro de candomblé, com batuques e mulatas do Sangenteli.
Os índios revoltados com o sucesso de pequeno Pablo resolvem invadir Buenos Aires e levam onças adestradas para atacar nosso herói. Ele morre, mas ainda há esperança, seu filho Pablito é forte e honrará o nome do pai.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Das coisas que eu não entendo

Eu não entendo quem quer escalar o Everest, por exemplo.
Tá, vc vai dizer que a pessoa está em busca de superar os próprios medos, de provar que o ser humanozzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz....
Tô falando sério. Por que? Pela vista?
Pq assim, vc pode morrer tentando essa proeza. Só esse fato já me desestimula. Sem falar na escalada em si. Oi? Sobe, sobe, sobe. Máscara de oxigênio, cordas, fendas, neve, dedos necrosados, pés congelados, e nem tem uma cafeteria no meio do caminho.
E depois de dias, quando a pessoa finalmente chega lá, dá um grito -Uhu!, ou melhor, tenta dar né? A falta de oxigênio não deve ajudar muito nessa comemoração... Tira uma fotinho, faz meia volta e desce imediatamente. Sim, ela volta. Pq não tem simplesmente nada para fazer lá em cima...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

USA

Aí que meu marido me ligou ontem a noite (ele tá nos EUA, trabalhando), perguntou se eu queria alguma coisa de presente fora da lista que dei pra ele (bem modesta, tá? um batom, um rímel e olhe lá!), pq é tudo simplesmente muito barato, ele falou que eu ia enlouquecer lá.

Quão barato?

Duas calças CK U$50,00, relógio Guess U$50,00, perfume Armani Code uns U$ 20,00 (o de 100ml, tá?) e por aí vai. Ele está em Orlando e lá tem um MEGA Outlet, que chato.

Falei que não precisava trazer nada mas ele disse que vai trazer mesmo assim, pq é muuuuito barato.

Bom, já que ele tá nessa disposição acho que mudei de idéia e vou pedir uma bolsa e um óculos, assim não tem risco de errar o tamanho, rs.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Você é doida demais

Quem diz: estou ficando louca, na verdade não está ficando louca. Pq quem está enlouquecendo não tem consciência da loucura. Da sua loucura. Se eu acho que estou louca então eu não estou, pq se eu estivesse realmente louca não teria essa noção. Logo se eu tenho certeza absoluta que estou enlouquecendo quer dizer que não estou louca, certo? Então tá então.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Tô aqui, ei, olha pra mim!

Não sumi não, oh! Tô aqui! É que eu não andava very happy semana passada, então me recolhi em posição fetal embaixo do edredon (mentchira, tá?) e já passou. E como gente não happy fica com a imunidade baixa, adivinha? Gripinha ninja. Mas o melhor foi a dor que deu. Na nuca, costas, ombro, nariz, dente, cabeça, acho que eu tava mais pra um massagista que para um antigripal.

E Xente, perdi a contagem regressiva para meu último níver dos vinte anos. Era pra começar ontem, mas vai lá: faltam 29 dias!

E nunca canso de me dizer que nesse exato momento tem uma menina aqui em casa me ajudando na faxinaaaaaaaa. Isso me deixa very happy, tão happy qto uma caipirinha de saquê, mas sem dúvida com menos sono, rs.

Tem post meu com vídeo (tsá?) lá nas Twins.

E vcs sabiam que agora eu tenho um canal lá no you tube?

Por hj é só pessoal!

beijos

quinta-feira, 14 de maio de 2009

$$$ e a invasão das malhas

Gente, o que acontece?
Tá todo mundo milionário? Pq essa é a impressão que eu tenho vendo o preço das coisas no shopping.
Não pode um casaco custar quase R$200,00 na Renner, na Renner amiga!
E a arara de promoção estar na bagatela de R$59,90!
Hello!!! 60 reais um blusinha num magazine?
E o que dizer dos tecidos?
O rei das Malhas ameaçou todos os comerciantes do mundo? Pq só tem malha gente! Blusa simples, chique, esporte, não importa, é malha.
Fui procurar um vestido para ir em um casamento e a vendedora me apareceu com um lindo, maravilhoso, longo e de malha! Ah, não dá. Me recuso. Malha vc lava uma vez e ela já fica meio tristinha. Fora que marca toda e qualquer curvinha fora do lugar do seu corpinho. Sou do tempo que malha a gente usava só pra fazer ginástica. Confesso que é confortável, mas essa falta de opção é que é ruim.
É complô?

terça-feira, 12 de maio de 2009

Makeup

Sabe gente, eu sou uma mulher de fases.
Tem a fase do tricô (compro quilômetros de fios, agulhas incríveis e tricoto por horas).
Tem a da culinária (procuro receitas, compro ingredientes diferentes, pesquiso temperos).
A dos livros (horas navegando no submarino, vendo as promoções e adquirindo).
A da fotografia, dos blogs, dos esmaltes, dos cremes...
Atualmente estou na fase da maquiagem.
Loucamente me informando e consumindo o que tem a ver com o tema. Confesso que escrever agora pro Trendy Twins ajudou um pouco, fiz até um vídeo.
Oh que engraçado!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Datas festivas

Correndo o risco de ser banida por blogueiros queridos quero fazer uma confissão.

Não gosto de datas comemorativas. Dia das mães, dia dos pais, Natal, dia dos namorados...

Gosto da reunião, do almocinho, da ceia.

Não gosto da obrigatoriedade.

Do "ter" que comparecer.

Parece que vc só foi pq era obrigado.

E não pq queria.

E contrariando tudo isso que eu disse, eu tb confesso que choro na propaganda do Boticário para o dia das mães. Aquela em que o peixinho morre e vai para o céu dos bichinhos aquáticos. Viu, eu tenho um coração.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Nojinho

Quem lê o blog sabe que eu sou bem pouco fresca, chupo do seu canudo e como da sua comida com o seu garfo (guardada as devidas proporções, hahahhahah).
Mas não gosto não de colocar a mão naquela esteira do supermercado, como já falei aqui. Porém, contudo, todavia, descobri mais alguns lugares nojentinhos que a gente tem que colocar a mão no dia-a-dia (Super TOC, ativar!).

-botão do elevador: hum... Como faz? Você precisa apertar. Ou é isso ou é subir de escada. Que andar vc mora?
-descarga da privada de banheiro público: ai, ai, ai. A pessoa acabou de utilizar o vaso, logo a mãozinha está cheia de bichinhos. Ok, pegue o papel e utilize como uma barreira. Tente não encostar em nada.
-porta do cercadinho do banheiro: idem ao item acima. Tente abrir com o pé. Ou faça como eu, tente imaginar onde ninguém colocou a mão e boa sorte.
-botão para o semáforo abrir: nhaaaaaaaaaa. Tem um perto de casa, eu sempre ando a pé, e preciso atravessar nesse farol (sinal, semáforo, sinaleira). O que me dá um certo receio é que esse botão em específico, desse semáforo em específico, parece estranhamente limpo, muito limpo. Quem limpa? Alguém limpa? Ou é auto limpável pela quantidade de mãos que passam por ali diariamente? O que vc faz? Aperta ou reza para o farol abrir? Faça com eu, utilize o nó do dedo para apertar (hahaha, que louca), eu sei, não tem nenhum motivo científico para tal, mas acho que a área tocada na região do nó, é menor do que a ponta do dedo. Louca? Eu? Imagina...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Interatividade

Bacana vc estar em casa vendo TV e poder fazer uma pergunta para o programa em questão por e-mail. Legal esse negócio de interatividade, mas o povo tá perdendo a mão. Me arrepia até o último fio de cabelo quando no pgr domingal noturno ouço o apresentador dizer:

- E vc aí de casa também pode participar, faça um vídeo agora no intervalo e mande para cá com a sua opinião!

Nãooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Gene da vergonha alheia acionado!
Pq vc precisa no mínimo ser gênio para fazer um vídeo incrível no espaço do intervalo comercial.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ansiedade, teu nome é Cinthya

Na páscoa minha prof de yoga ficou sabendo que eu não comia chocolate, ela ficou muito espantada e perguntou: Mas o que vc come qdo fica ansiosa? Nada, eu não como, perco a fome.
Mas resolvi ampliar a pergunta, o que eu faço qdo fico ansiosa?
Qdo eu era criança me lembro muito bem de chorar desesperada um dia antes das minhas provas, eu dizia que não sabia nada e que ia tirar zero. Voltava pra casa no outro dia rindo e com um 10.
Essa ansiedade mata. Fico assim um dia antes de gravar algo importante, de um evento, de uma reunião, com um telefonema, esperando uma resposta. Não é algo paralisante ou capaz de quebrar um dente (né, Tina?), mas mesmo assim é muito ruim. E o pior, descobri recentemente que não tem NADA que faça passar.
Uso um truquezinho qdo estou muuuuito ansiosa, eu fico pensando: Calma sua boba, amanhã a essa hora já vai estar tudo resolvido. Não passa, mas melhora. Acho que o ideal mesmo seria chorar como eu fazia quando tinha 8 anos, mas 20 anos depois acho que não cairia muito bem...
Blog Widget by LinkWithin