sábado, 14 de fevereiro de 2009

Ode ao ombro

Se lhe perguntado fosse: quais as partes corporais que mais lhe interessam na espécime humana, o que diria?
Pernas bem torneadas, coxas grossas como toras, costas largas e sensuais, barriguinha definida pra lavar a roupa nesse tanque, lábios carnudos, olhos de ressaca, cabelos ao vento.
Eu mesma diria tudo isso, mas nunca diria "ombro".
Aha, nunca teria "dito" se não tivesse visto com meus próprios olhos.
Redondo, sorrindo, perfeito para se aconchegar.
Alto, infinito, com curvas.
Parece macio, mas coisa de macho.
Nada de veia saltada e produção de academia.
Ele é assim, como direi, fornido por natureza.
Tenho a impressão que quebraria uma noz.
Não sei o que vai por cima ou o que o acompanha em baixo.
Não interessa pra falar bem a verdade.
Apenas ele, ali, sendo.
Coisa para ser admirada de longe.
Bela embalgem.
Liso, dourado, um lado que sobre, outro lado que desce.
Perdão padre pq eu pequei.
10 aves maria e 10 pais nosso, filha.
Faço até ajoelhada no milho, mas pode ser ajoelhada na direção daquele ombro?
Blog Widget by LinkWithin