sexta-feira, 20 de julho de 2007

Síndrome da Fila



Sempre achei que fila fosse coisa de paulista. Mas depois de muito viajar e conhecer outros estados e cidades, posso afirmar que fila é coisa de seres humanos em geral.
Eu particularmente não sou fã de fila não. Repudio todas as filas, e as que eu puder escapar e sair correndo eu fujo mesmo.
Banco por exemplo. Existe aquela lei que você pode ficar no máximo 15 minutos (faz me rir) esperando na fila para ser atendido. 15 minutos para o meu ser é muito tempo. Um grande desperdício. Dá pra tomar banho, ler um gibi, lixar as unhas, fazer um xixi, começar meu tricozinho. Para isso existe INTERNET, onde pago minhas contas sem ao menos tirar o pijama. Maravilhas do mundo moderno.
Mas ao contrário de mim existem muitas pessoas que são chegadas numa fila, elas realmente são afeiçoadas ao conceito de ficar "um atrás do outro feito gafanhoto". Essas pessoas tem a síndrome da fila, doença moderna ainda sem tratamento e que se manifesta de várias modos de acordo com o ser humano que está infectado.
Compulsivo: não importa do que é a fila, ele sempre chega junto, puxa papo, faz amizade, gosta de ser o primeiro, chegando ao cúmulo de começar a fila do cinema 2 horas antes do filme ter início.

Torcicolo: aquele que sempre levanta antes do ônibus ou avião abrir a porta quando chega ao seu destino, e como os apressados (leia abaixo) já levantaram antes dele, é obrigado a permanecer no seu lugar, de pé, com o pescoço torto devido a cabine ser mais baixa acima dos assentos.
Apressados: quando o funcionário do aeroporto avisa no microfone que dentro de 10 minutos começará o embarque, esse apressadinho já está na fila aguardando faz meia hora.
Paranóico: praticamente o maníaco da fila, mesmo tendo lugar (assento) marcado ele faz questão de ser o primeiro, empurra crianças e pisa no pé dos velhinhos, mantenha distância desse tipo.
Turista tipo paulista (válido para todos os estados brasileiros, o nome é apenas uma homenagem à minha terra): durante uma excursão de turismo, onde se acredita que as pessoas devessem estar mais relaxadas, esse louco por fila não mede conseqüências para ser o primeiro a entrar e sair de qualquer meio de transporte utilizado nos passeios. Se num passeio de barco o acaso reunir vários desses turistas paulistas, que com certeza vão se acumular na minúscula saída, e o barco virar, não se preocupe, o primeiro que cair na água prontamente vai gritar: Haha, caí primeiro!!!!


Blog Widget by LinkWithin