sexta-feira, 6 de março de 2009

Outros sonhos (Chico Buarque)

Se pudesse eu teria um caso com Chico Buarque. Andaria de mãos dadas no calçadão, me reapaixonaria por ele todos os dias, e ele escreveria músicas sobre nosso amor.

Brigaríamos horrores, lágrimas rolando, terminaríamos mil vezes dando muita inspiração para novas letras sobre nosso amor.

Ele jogaria futebol, eu faria uma feijoada completa, ele me abandonaria mas ligaria 3 dias depois arrependido, dizendo que ia voltar, e pra provar que ainda me amava escreveria uma canção sobre o nosso amor.

Mas, enquanto isso não acontece, deixo essa letra com laivos de LSD.

Atoooooro. (O que? vc não gosta do Chico? Acha que ele desafina? Humpf, não no meu ouvido, rs)

Sonhei que o fogo gelou

Sonhei que a neve fervia

Sonhei que ela corava

Quando me via

Sonhei que ao meio-dia

Havia intenso luar

E o povo se embevecia

Se empetecava João

Se emperiquitava Maria

Doentes do coração

Dançavam na enfermaria

E a beleza não fenecia

Belo e sereno era o som

Que lá no morro se ouvia

Eu sei que o sonho era bom

Porque ela sorria

Até quando chovia

Guris inertes no chão

Falavam de astronomia

E me jurava o diabo

Que Deus existia

De mão em mão o ladrão

Relógios distribuía

E a policía já não batia

De noite raiava o sol

Que todo mundo aplaudia

Maconha só se comprava

Na tabacaria

Drogas na drogaria

Um passarinho espanhol

Cantava esta melodia

E com sotaque esta letra

De sua autoria

Sonhei que o fogo gelou

Sonhei que a neve fervia

E por sonhar o impossível, ai

Sonhei que tu me querias

Soñé que el fuego heló

Soñé que la nieve ardía

Y por soñar lo imposible, ay, ay

Soñé que tú me querías

Blog Widget by LinkWithin